Select Page

Priscila e Áquila – Companheiros no Reino

Priscila e Áquila – Companheiros no Reino

“Companheiros no reino” é o título de um livro escrito por Bryan e Jacqueline Bost, com recordações da maneira como eles têm servido juntos a Jesus.
“Eu e minha casa serviremos ao Senhor”, diz Josué 24:15, deve ser mais que uma frase bonita, deve ser uma realidade na vida dos casais que pertencem a igreja, o reino de Deus aqui na terra
Porém, responda, você casado, que nota de 1 a 10 daria para a sintonia entre você e seu cônjuge no serviço ao reino? Por quê?
Quero utilizar como exemplo de serviço no reino, além do Bryan e Jacqueline (incentivo a leitura do livro), um casal, cujos nomes aparecem por 7 vezes juntos nas páginas do Novo Testamento. Este casal é Priscila e Áquila. Vejamos a maneira elogiosa como Paulo se refere a eles: “Saudai Priscila e Áquila, meus cooperadores em Cristo Jesus, os quais pela minha vida arriscaram a sua própria cabeça; e isto lhes agradeço, não somente eu, mas também todas as igrejas dos gentios; saudai igualmente a igreja que se reúne na casa deles” – Romanos 16:3-5a. Outros textos em que eles aparecem: Atos 18:1-2, 18-19, 24-27, 1 Coríntios 16:19. Lendo sobre a vida do casal, quero compartilhar algumas lições para nós, servidores no reino:

1. Eles estavam constantemente juntos – Um diferencial que ajuda um casal a servir juntos. Sete vezes o nome da Priscila apareça junto com o de Áquila. Sabe aquela frase: “Priscila do Áquila”, “Áquila da Priscila”. Claro que há coisas que cada um faz sozinho, porém, creio que deva ser exceção. A ideia de “uma só carne” não é apenas a questão do envolvimento sexual, inclui todas as facetas. Um casal cristão precisa ter tempos juntos, em casa, numa visita, no lazer, entre outros momentos.
2. Eles sofriam juntos – Atos 18:2 – Quando casamos: “na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, na fartura e na escassez…” – prometemos naquele dia especial. O casamento é vida juntos e estar junto é sofrer e celebrar juntos. Imagine que situação difícil quando o casal foi expulso de Roma? Nas crises da vida cada cônjuge precisa apoiar o outro, ouvir um ao outro, chorar juntos, se necessário, buscar a ajuda de Deus para aquele momento difícil. Certamente, quanto tiveram de arriscar suas próprias por Paulo foi um dos momentos em que tiveram que sofrer juntos.
3. Eles serviam/ensinavam juntos (Atos 18:24-26) – A maior alegria de um obreiro cristão é ter a presença de sua esposa na obra de Deus. Fico muito feliz quando Silvia está junto ensinando uma aula, presente numa visita, participando comigo nas atividades da igreja. Claro que precisa se respeitar os limites – cansaço extremo, dupla jornada, filhos pequenos, porém tudo é questão de sacrifício. Outra coisa: a mulher precisa aprender a dividir o marido, às vezes ele precisa se ausentar de cada por causa de sua dedicação ao reino. Por outro lado, o marido precisa a reservar tempo de qualidade com sua mulher, ela é sua principal parceira no serviço para Jesus. No caso de Priscila e Áquila, eles utilizavam sua casa para reuniões da igreja e quem já passou por esta experiência sabe como o casal precisa estar em harmonia.
4. Eles trabalhavam juntos (Atos 18:3) – Priscila e Áquila tinha a mesma profissão: fazedores de tendas. Em casa, todos trabalhamos. A mulher às vezes tem dupla jornada (trabalha fora e também em casa). O marido precisa trabalhar junto. Quando a mulher não trabalha fora, a valorização deve ser ainda maior. Está renunciando uma carreira em nome da família e até mesmo do reino.
O marido deve se esforçar para suprir sua mulher emocionalmente e financeiramente. Dar a ela dinheiro suficiente para gerir a casa, comprar suas próprias necessidades pessoais, sem precisar ficar “mendigando” durante o mês inteiro.
5. Eles tinham a mesma fé (1 Coríntios 16:3-4) – Não estou falando de serem batizados (isto deveria ser óbvio), mas crescerem até terem a mesma fé. Se não tivessem a mesma fé (fossem apenas “membros” da igreja), Priscila e Áquila não teriam arriscado suas vidas por Paulo. Marido e mulher terem a mesma fé é uma desafio, requer muita paciência de um para o outro, especialmente daquele que é mais maduro. O jugo desigual (quando há um desnível acentuado na fé) vai atrapalhar muito uma pessoa que deseja que sua família seja um instrumento de Jesus na busca do perdido. Um jovem, antes de dizer “sim” diante de Deus, deveria pensar e verificar se seu futuro cônjuge tem a mesma fé em Jesus, a mesma disposição em servir.
6. Eles se destacavam juntos – Finalmente, companheiros no reino devem se destacar juntos. É uma anomalia um deles admirado e honrado por seu trabalho cristão, o outro apenas um coadjuvante. Priscila parecia até se destacar mais que seu marido, talvez mais comunicativa, talvez mais ouvinte… Claro que no trabalho de Jesus, é o Mestre quem deve se destacar. Porem, que serve acaba se destacando por sua dedicação ao reino de Jesus (1 Timóteo 3:13).

Que Josué 24:15 seja uma realidade na vida de cada família cristã, sendo marido, mulher e filhos sócios no serviço no reino de Deus, isto é, na prática, “eu e minha casa sirvamos ao Senhor”. Amém!

About The Author

Recent Reviews

Recent Comments

Veja Isso Também

A Arte da Pregação, Crescimento da Igreja, Evangelismo, Grupos Pequenos, Ministérios, Música Vocal

Latest