Selecione a página

Perigos ao Faltar ao Culto

Perigos ao Faltar ao Culto

Ao ler este artigo você estará se desfazendo de todas as desculpas pessoais para faltar ao culto.

Falar dos benefícios de ir à escola ou ao trabalho é redundante, isto é, é tão óbvio que se você for estudar e trabalhar você logo terá resultados. Os resultados serão intelectuais, financeiros e prazeirosos. Também acho que é desnecessário falar sobre os resultados de faltar às aulas ou ao trabalho. De um modo geral todas as pessoas são fiéis aos estudos e ao trabalho simplesmente porque conhecem bem as consequências de faltar aos deveres. Isso se potencializa quando você tem responsabilidades como contas a pagar e família para sustentar. Inclusive atrasos não são muito bem vistos pelos professores, patrões e colegas.

Agora, para que possamos pensar, você é mais fiel à Escola e trabalho do que a Deus? Se você, como a maioria das pessoas, tem que ser fiel aos estudos e ao trabalho por causa das consequências, por que não ser fiel à Deus pelos mesmos motivos? Você tem um trabalho ou você se esforçou nos estudos para estar onde está e tudo isso é graças às suas forças? Será mesmo?

“Não digam, pois, em seu coração: ‘A minha capacidade e a força das minhas mãos ajuntaram para mim toda esta riqueza’. Mas, lembrem-se do Senhor, o seu Deus, pois é ele que lhes dá a capacidade de produzir riqueza, confirmando a aliança que jurou aos seus antepassados, conforme hoje se vê.” (Dt 8:17,18)

Devemos ser fiéis a Deus porque é Ele quem nos dá capacidade e força aos nossos braços para ajuntar o resultado dos estudos e do trabalho. Agora, é hora de saber que sem Deus nós não somos nada, antes, precisamos nos lembrar de Deus e Ele tem sido bom para conosco. Precisamos ser mais agradecidos e tem muitas outras coisas que Ele tem feito.

A Importância da Gratidão e do Culto

No culto nós nós nos reunimos em nome de Jesus e, ainda que estivermos em dois ou três, Ele estará lá conosco (Mt 18:20). Nos reunimos em memória de Jesus e lembramos do sacrifício através dos castigos, morte, sepultamento e ressurreição no momento da ceia (1 Co 11:23-26). Agradecemos naquele momento por Ele estar conosco, pecadores, e pelo sacrifício em nosso lugar.

No culto nós nos estimulamos ao amor e às boas obras. É o momento que fazemos manutenção do corpo de Cristo cuidando uns dos outros. Sendo assim, não devemos deixar de congregar, não devemos seguir os costumes dos infiéis e ingratos, pois o dia que o Senhor preparou está cada vez mais próximo.

“E consideremo-nos uns aos outros para incentivar-nos ao amor e às boas obras. Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia.” (Hebreus 10:24,25)

Se uma pessoa falta ao culto de propósito, sem motivo ou mesmo com motivos fracos, depois de terem conhecido e obedecido ao evangelho e terem sido perdoados dos pecados, o que pode ser feito? Jesus não vai ser sacrificado novamente por ninguém e a pessoa se torna inimigo de Deus e está na mira do castigo descrito como “uma terrível expectativa de juízo e de fogo intenso”.

“Se continuarmos a pecar deliberadamente depois que recebemos o conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados, mas tão-somente uma terrível expectativa de juízo e de fogo intenso que consumirá os inimigos de Deus.” (Hebreus 10:26,27)

Costumamos pensar e até ouvir que estar debaixo das Leis do Velho testamento era muito pior. Sim, tem alguma razão, pois sob a lei de Moisés quem errasse, estaria condenado. Por exemplo, se uma pessoa não guardasse o sábado, dia do Senhor, e se duas ou três testemunhas depusessem contra aquela pessoa, morreria sem misericórdia.

“Quem rejeitava a lei de Moisés morria sem misericórdia pelo depoimento de duas ou três testemunhas.” (Hb 10:28)

Será que hoje estamos numa situação melhor? Pareceu que sim porque se faltarmos ao culto provavelmente não seremos mortos sem misericórdia, não é? Mas quem falta ao culto sabe o que está fazendo? Preste bem atenção, quem falta ao culto está fazendo três coisas graves:

  1. Está pisando aos pés do Filho de Deus;
  2. Está profanando o sangue da aliança pelo qual foi santificado; e,
  3. Está insultando o Espírito Santo.

“Quão mais severo castigo, julgam vocês, merece aquele que pisou aos pés o Filho de Deus, que profanou o sangue da aliança pelo qual ele foi santificado, e insultou o Espírito da graça?” (Hebreus 10:29)
Não posso ter inventado nada disso. Quem disse isso foi o autor de Hebreus e graças a Deus que ele disse isso para nos alertar. Agora leia novamente a pergunta dele agora nas minhas próprias palavras: “Que castigo você acha que merece alguém que falta ao culto?”
Andar Na Luz ou Nas Trevas

Deus é luz. Quando um dia chegarmos lá no céu não precisaremos de luz artificial ou do sol “pois o Senhor Deus os iluminará” (Apocalipse 22:5). Deus é luz e Nele não há trevas, quem anda com Deus, anda na luz. Você anda com Deus? Me fale como. Não, eu vou te falar como se anda na luz.

“Esta é a mensagem que dele ouvimos e transmitimos a vocês: Deus é luz; nele não há treva alguma. Se afirmarmos que temos comunhão com ele, mas andamos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém, andamos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.” (1 João 1:5-7 – a ênfase é minha)

Andar na luz, como podemos ler acima, é ter comunhão uns com os outros. E quando é que mantemos comunhão? Quando estamos juntos reunidos em nome de Jesus e lembrando do seu sofrimento, morte, sepultamento e ressurreição. Isso mesmo! No culto é que mantemos plena comunhão uns com os outros e andamos na luz através dessa comunhão. O contrário é igualmente verdade. Se uma pessoa deixa de ter comunhão com os irmãos, deixa de frequentar ao culto, começa a andar nas trevas. Deve voltar o mais breve possível para a luz.

Uma pessoa que nunca quis ouvir o evangelho, não crê, não se arrepende dos pecados, não confessa Jesus como Senhor, nunca foi batizada conforme a Bíblia, não entende a importância de ‘perder algumas horas’ no domingo para adorar a Deus. Consideram que é uma perda quando na verdade é um atalho para chegar ao céu neste mundo de perdição. Aquelas pessoas precisam de misericórdia e ajuda, pois estão vivendo e andando nas trevas. Se nós “uma que recebemos o conhecimento da verdade” deixamos de manter comunhão, voltamos para as trevas.

Quando você anda na luz, acontece uma renovação espiritual. Talvez ninguém veja a diferença, talvez ninguém consiga ver, mas no culto temos a purificação de todos os pecados que cometemos naquela semana que se passou. Quem deixa a frequências do culto, acumula novos pecados exatamente como antes do batismo.

Motivos Aceitáveis Para Faltar ao Culto

Já vi muitas pessoas não irem ao culto, mas irem trabalhar na segunda. Isto é justificável? Mostra-se mais fidelidade ao patrão do que a Deus. O que o patrão pode dar? Um salário nem sempre justo… e Deus, o que Ele pode dar se você for fiel e andar na luz onde Ele está? Pense nisso…

Um irmão disse certa vez que só tem um motivo aceitável para justificar a falta ao culto: “atestado de óbito”. Talvez essa seja uma opinião radical, mas é melhor pensar mesmo dessa forma do que arriscar a viver nas trevas. De qualquer modo, se uma pessoa fica doente e não pode nem ir à escola ou não pode trabalhar, talvez ela realmente não possa ir ao culto também. Então a igreja deve ir até seu membro fraco fisicamente e cuidar dele espiritualmente.

Talvez existam outros motivos justificáveis para se faltar ao culto além de estar doente, mas devemos não procurar e, no final de tudo, Deus sabe se realmente temos condições e você vai ter que encarar a justiça Dele se inventar justificativas.
Conclusão

Você é fiel mais a Deus ou aos seus compromissos? O que vai ganhar dos seus compromissos? Você tem andado na luz, isto é, tem frequentado a igreja de Cristo? Você entende agora a gravidade de faltar ao culto? Ande na luz e tenha perdão de todos os seus pecados no culto de adoração ao Senhor.

Print Friendly, PDF & Email

Sobre o autor

Comentários recentes

Comentários

Veja Isso Também

A Arte da Pregação, Crescimento da Igreja, Evangelismo, Grupos Pequenos, Ministérios, Música Vocal

Mais recentes