Select Page

O Que os Pais Podem Fazer Para os Filhos Não Abandonarem a Igreja

O Que os Pais Podem Fazer Para os Filhos Não Abandonarem a Igreja

Certa vez meu filho falou para a minha esposa: “Quando eu crescer, quero casar com uma mulher como você, mãe”. Ela ficou toda cheia de si e queria saber mais: “É mesmo filho, por que?” Ele prontamente respondeu: “Pra ter um filho igual a eu”. É, de qualquer forma, espero que seus filhos queiram mesmo encontrar mais pessoas como você neste mundo. Nem que seja para replicar o bom pai ou mãe que você foi e ter filhos bons como eles mesmo.

Chega de cruzar os dedos, orar ou passar ‘tempo de qualidade’ com os filhos para que você tenha garantia de que a sua mais preciosa ovelha se mantenha sempre segura no aprisco. É hora de repetir uma velha atitude!

Tudo começa em casa. Quem você é mesmo, você é em casa. Se até os vizinhos têm uma noção de quem é você, imagina os de casa.Se você não for autêntico servo de Deus, até os seus vizinhos vão saber. Imagine, então, os seus filhos. Eles nunca vão querer parecer com você ou ter um lar como você construiu. Mas a gente não liga tanto com o que acontece com os vizinhos como mexe com a gente com o que acontece com os da própria casa, como os filhos. A velha atitude começa com você!

“Esta é a lei, isto é, os decretos e as ordenanças, que o Senhor, o seu Deus ordenou que eu lhes ensinasse, para que vocês os cumpram na terra para a qual estão indo para dela tomar posse.” (Dt 6:1)

O Velho Testamento serve para nós hoje como exemplo e ensinamento das tristezas que podemos evitar. Um bom homem pode perder os seus filhos para o mundo se só for um bom homem para os outros e não tão bom em casa. Os filhos precisam ter certeza absoluta desse bom homem em casa. Devem saber que o pai é o exemplo a seguir. Tudo começa em casa. As palavras de Deus são para serem levadas a sério. Devem ser encaradas como decretos e ordenanças, pois é exatamente isto que nos trará sossego e felicidade para esta vida e, o mais importante, eternamente. Deus ordenou estas palavras para que sejam ensinadas aos filhos e cumpridas. Não pense nos outros, pense em você! Se você quer resultado, vai ter que fazer alguma coisa.

“Desse modo vocês, seus filhos e seus netos temerão ao Senhor, o seu Deus, e obedecerão a todos os seus decretos e mandamentos, que eu lhes ordeno, todos os dias da sua vida, para que tenham vida longa.” (Dt 6:2)

Minha mãe me falou há pouco tempo atrás de que ela foi rigorosa, que os filhos até têm algumas mágoas do rigor, mas todos são bons cidadão e, principalmente, fiéis a Deus. Queremos ser melhores que nossos pais? Então sigamos a educação e respeito que aprendemos deles! Até pouco tempo eu tinha muito orgulho da minha família toda de sermos abençoados e ter todos, até à terceira geração, na igreja. Sabia que corríamos risco e quando a juventude e a independência ignorante de alguns jovens da família chegou, eles começaram a andar nas trevas. Como pais a gente fica recapitulando pra ver onde erramos. Devemos também ver onde podemos acertar daqui para frente.

As palavras de ordenanças dadas por Deus eram para que os filhos e os netos conhecessem e temessem ao Senhor, para que obedecessem os decretos e mandamentos ordenados com uma promessa: vida longa. Aviso aos pecadores, até mesmo filhos de pregadores que conhecem a verdade: a justiça é longânime, mas não falha. Deus é amor, sim, mas também Deus é justo e a vingança pertence a Ele.

“Ouça e obedeça, ó Israel! Assim tudo lhe irá bem e você será muito numeroso numa terra onde manam leite e mel, como lhe prometeu o Senhor, o Deus dos seus antepassados.” (Dt 6:3)

A este tempo já é hora de entender que os decretos, ordenanças e mandamentos dados pelo Senhor devem ser obedecidos para a nossa proteção. Até mesmo os fazendeiros constroem cercas para os seus gados para que vivam mais. Há um motivo maior para colocar os mandamentos de Deus em prática:

“Ouça, ó Israel: O Senhor, o nosso Deus, é o único Senhor. Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças.” (Dt 6:4, 5)

É exatamente isso que você tem que mostrar aos seus filhos: amor incondicional a Deus. Tem que mostrar que ama mais a Deus do que ama a eles. Tem mais… estas mesmas palavras que te guiam devem ser as mesmas palavras que devem, persistentemente, ensinadas aos seus filhos. Onde você está quando eles vão deitar ou se levantam? Onde você está quando eles estão andando pelo caminho? Onde você está quando eles estão em casa? Nos justificamos trabalhando tanto para dar aos filhos o que nós não tivemos que esquecemos de dar o que nós tivemos. O que adianta uma vida cheia de regalias e desrespeito, drogas, sexo e rock and roll?

“Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar.” (Dt 6:6, 7)

Lembro quando ia na casa da minha irmã e na casa de outros irmãos em Cristo e via cartazes tanto de afazeres quanto de passagens bíblicas. Foi isso mesmo que Deus ensinou para que pudéssemos fazer. Devemos deixar a palavra de Deus sempre ao alcance dos olhos. Um dia, com certeza, ela fará efeito. Seja para a nossa salvação ou para o nosso julgamento. Antigamente era para amarrar na frente da testa, nos braços e na porta e portões de casa.

“Amarre-as como um sinal nos braços e prenda-as na testa. Escreva-as nos batentes das portas de sua casa e em seus portões.” (Dt 6:8, 9)

Além disso, precisamos criar um ambiente e ter moral suficiente para fazer como Josué para dizer: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”. Talvez agora você esteja pensando: “Eu fiz tudo isso e mais, e mesmo assim meus filhos se desviaram”. Infelizmente eu não tenho respostas para tudo, gostaria de ter. Se eu tivesse, venderia pelo menos metade mais de livros do que pensam que eu vendo… Se você já fez tudo isso e ainda não está satisfeito com os resultados, a sua história ainda não terminou. Examine a você mesmo sinceramente. Converse com seu cônjuge e com seus filhos. Procure entender ou aceite a situação e não queira criar os seus netos de um jeito que você não criou os seus filhos. Não é a sua tarefa… Acima de tudo, ame a Deus acima dos seus filhos. Deixe isso claro! Se eles não querem andar no caminho do Senhor, não serão bem recebidos vivendo a vida que vivem. Claro que podem e devem te visitar. Claro que devem cuidar de você, mas se você não tiver as mãos dadas com Deus, certamente vai perder a vida dos seus filhos mesmo quando forem adultos.

Apesar de não ser tudo o que se pode fazer, ore por seus filhos todos os dias, acredite no poder da oração antes, durante e depois que você já fez tudo como pais deveriam ter feito. Deus tem seus propósitos.

Conversando com pais que ainda têm filhos pequenos eu sempre aconselho a aproveitar todo e qualquer momento mesmo que esteja cansado. Se eu pudesse voltar atrás, faria um monte de coisas diferentes. Onde estavam os meus conselheiros? Costumo dizer que eu criei o meu filho, pois passei bastante tempo com ele e ele me acompanhava nas ‘chatas’ aulas bíblicas. Acho que eu melhorei muito como professor da Bíblia… Fomos muito abençoados como pais.

Sei que a história do meu filho ainda não acabou, posso ainda me decepcionar com as escolhas e pecados que ele cometer. Continuarei firme no Senhor e serei um pai, uma voz, uma presença, um exemplo para meu filho, mesmo quando ele não quiser ouvir. Sei que ainda posso ter dias difíceis, por isso oro. Apesar de tudo, meu filho ainda pode se perder eternamente, mas eu o criei no caminho certo e, mesmo ficando muito triste, não serei culpado por não ter sido um bom pai. Não fui perfeito, mas tenho minha consciência quase limpa. Sei que poderia ter sido melhor, então decidi ser agora, pois vou sempre ser seu pai e ele sempre vai ser meu filho…

About The Author

Recent Reviews

Comentários

Veja Isso Também

A Arte da Pregação, Crescimento da Igreja, Evangelismo, Grupos Pequenos, Ministérios, Música Vocal

Latest