DIAS DIFÍCEIS! E DAÍ?

0
63

Tenho certeza que nesses nossos dias conturbados com a greve dos caminhoneiros muitos leram ou receberam essa mensagem:

“Falaram que vai acabar a gasolina, todo mundo correu pro posto; falaram que vai acabar a comida, todo mundo correu pro mercado; agora falamos que Jesus está voltando, e você não corre pra igreja. Parece que a notícia da falta de comida e gasolina é mais verdadeira que a volta de Cristo”.

Deixando de lado o conceito errado de igreja, até que o raciocínio não é de todo incorreto. Muitas vezes é dada para as notícias e acontecimentos seculares uma importância muito maior ao que é dado para os assuntos espirituais. Mas por que será que isso acontece? Qual o papel do cristão nessas situações, ou melhor, o cristão tem algum papel nessa situação?

Vamos examinar qual pode ser a causa disso…

Pode ser que as coisas seculares causem um impacto maior junto às pessoas – isso é causado por uma falta de visão espiritual, que considera que as coisas terrenas e imediatistas são a única opção; nesse caso cabe aos discípulos de Cristo ensinar que há uma opção infinitamente maior do que essa vida terrena e carnal.

“ mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” ( I Co 2:9)

Também pode ser que a preocupação com o amanhã seja maior do que a preocupação com o hoje – também nesse caso os discípulos podem ensinar que não devemos nos preocupar com o amanhã, pois Deus cuidará de tudo –

“Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal”. (Mateus 6:34).

Mas também pode ser que o próprio cristão esteja tão apegado às coisas aqui da terra que ele mesmo já tenha se desligado das coisas espirituais.

“mas os cuidados do mundo, a fascinação da riqueza e as demais ambições, concorrendo, sufocam a palavra, ficando ela infrutífera”. (Mc 4:19)

Nesse caso… bem, nesse caso, quem precisa de ajuda é o cristão!

Quando o que é secular e suas consequências começam a ser motivo de preocupação exagerada por parte dos discípulos, isso deve ser um sinal pra que possamos avaliar o grau de confiança e fé que colocamos no Pai. Claro que o que acontece ao nosso redor deve ter importância, pois elas nos afetam, mas não podemos ficar tão preocupados a ponto de esquecermos que todas as dificuldades são oportunidades pra ensinarmos (e aprendermos) que Deus a tudo controla, e que qualquer situação deve ser vista como uma chance de mostrar que o discípulo verdadeiro não tem suas raízes nesse mundo, mas espera com ansiedade aquela nova morada que lhe está prometido.