Select Page

Autonomia Congregacional e o Governo de Jesus

Autonomia Congregacional e o Governo de Jesus

Como havia adiantando na edição passada, a igreja de Jesus no bairro nos Pimentas vive um momento especial na sua história.
Depois de mais de 12 anos de estabelecimento naquela região guarulhense, a congregação elegeu sua liderança formal, isto é, homens que servirão de maneira especial à irmandade nos próximos anos, preparando para, no futuro próximo, eleger seus presbíteros ou pastores.
Na igreja de Cristo há somente um Rei, um Comandante, um Supremo Pastor e seu nome é Jesus (1 Pedro 5:4). Jesus governa a Sua igreja através de sua presença divina no meio do seu povo (Apocalipse 2:1), bem como de Sua Palavra. E Jesus utiliza pessoas falíveis como cada um de nós para cuidar da sua igreja. Na igreja do primeiro século cada congregação era autônoma para escolher sua própria liderança, como podemos ver em Atos 13:1-3 em diante e 14:23. É estranha a ideia de uma igreja-mãe governando diversas congregações. Isto aconteceu e o resultado é no catolicismo vermos a igreja de Roma governando as demais no mundo. Mesmo no mundo evangélico vemos o papado em escala menor, mas tão pernicioso como no catolicismo, isto é, um homem com autoridade sobre vários grupos. Na igreja de Deus o único que reina sozinho é Jesus. Na igreja local existem evangelistas quando a igreja ainda não está preparada para presbíteros e diáconos, caso como Creta e Éfeso, que contaram com a ajuda de Tito e Timóteo na eleição de sua liderança formal. Veja 1 Timóteo 3:1-13 e e Tito 1:5-9.
Há dois anos a igreja nos Pimentas começou a pensar na ideia de ter uma liderança formal. Depois de estudarmos a Bíblia, orarmos e pensar muito a respeito, chegamos à conclusão que elegeríamos evangelistas que preparariam a igreja para um futuro presbitério.
Quem coordenaria isso? Como a igreja seria orientada? Claro que por Deus e por isso no começo de 2016 começamos uns estudos mais específicos para a escolha. Apesar de na igreja do Novo Testamento não haver subordinação de uma congregação para outra, sabemos da existência de uma irmandade imensa com muitos irmãos sábios, até com visões um pouco diferentes, porém, enriquecedoras para toda a comunidade. Desta forma de janeiro a junho os pregadores da igreja local, com a ajuda de irmãos maduros e sábios de 4 congregações distintas, orientaram a irmandade sobre as qualificações, os cuidados que deveríamos ter, que tipo de pessoas precisaríamos colocar na liderança local.
Agradecemos muito a Vanderlei (Vila Maria), Randal Matheny (São José dos Campos), Donizete (Centro de Guarulhos) e Paulo Bottaro (Jundiaí) pela generosidade e desprendimento nos servindo.
O resultado é que no dia 26 de junho, num clima de alegria, de confiança em Deus, de maneira livre, TODA a irmandade escolheu a Jilson, Gilnor e eu como seus evangelistas formais nos próximos anos. Eleição e apuração foram realizadas no mesmo momento.
Permitindo Deus, enquanto esta edição do boletim está sendo distribuída, a igreja nos Pimentas está tendo um culto especial de consagração, onde vamos rogar as bênçãos de Deus nesta nova fase.
A igreja está crescendo e amadurecendo e oramos para que nos próximos anos sejamos um grupo de Jesus naquela região que vive e prega o evangelho simples e poderoso do Senhor Jesus.
Pedimos as orações dos irmãos.
Nota: Texto publicado na edição de agosto de 2016 do boletim informativo “Amo Jesus – Porque Ele me amou primeiro” das igrejas guarulhenses. Apesar de referir a algo específico acontecido na congregação dos Pimentas, creio que os princípios e ensinos contidos no texto servem para todas as congregações de Jesus.

About The Author

Recent Reviews

Comentários

Veja Isso Também

A Arte da Pregação, Crescimento da Igreja, Evangelismo, Grupos Pequenos, Ministérios, Música Vocal

Latest