Select Page

A LÍNGUA – “Cuidado boquinha o que fala…”

A LÍNGUA – “Cuidado boquinha o que fala…”

Na cidade de Corinto havia o templo de Afrodite, deusa do amor. Ali, diz a história, mil sacerdotisas desciam ao final da tarde, vendendo seus corpos e cultuando dessa maneira o sexo.

Quando o evangelho chegou àquela cidade, em sua primeira carta, Paulo teve que tratar com seriedade a questão sexual pois, para certos cristãos daquela cidade, “Deus está interessado com o meu espírito, o que faço com o corpo não tem problema”.

Esta é a razão de Paulo ser tão enfático quando a necessidade do corpo ser dedicado a Deus e santuário do Espírito Santo.

“Será que vocês não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo, que está em vocês e que vocês receberam de Deus, e que vocês não pertencem a vocês mesmos? Porque vocês foram comprados por preço. Agora, pois, glorifiquem a Deus no corpo de vocês.” – 1 Coríntios 6:19-20

O mesmo ensinamento o apóstolo dá a igreja em Roma, no conhecido capítulo 12 daquela carta:

“Portanto, irmãos, pelas misericórdias de Deus, peço que ofereçam o seu corpo como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Este é o culto racional de vocês.” – Romanos 12:1

Assim, Deus se importa com a maneira como utilizamos todo o nosso corpo, o templo do Espírito Santo.

I – A LÍNGUA TAMBÉM DEVE GLORIFICAR A DEUS

Qual dos membros do corpo é mais difícil de glorificar a Deus?

Mãos, pés, olhos, órgãos sexuais… – todos eles são difíceis. Nosso texto da semana passada foi este:

“Porque os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos às suas súplicas, mas o rosto do Senhor está contra aqueles que praticam males.” – 1 Pedro 3:12

O que Pedro tinha em mente quando escreveu este texto? Basta voltar dois versículos.

“Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes refreie a língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente; aparte-se do mal, pratique o que é bom, busque a paz e empenhe-se por alcançá-la.” – 1 Pedro 3:10-11

A Palavra de Deus está repleta de ensinos a respeito desse órgão tão pequeno, mas, ao mesmo tempo, tão poderoso.

“Põe guarda, SENHOR, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios. “ – Salmo 141:3

O salmista responde sobre quem habitará no santuário de Deus.

“O que não difama com sua língua, não faz mal ao próximo, nem lança injúria contra o seu vizinho;” – Salmo 15:3

“Refreia a língua do mal e os lábios de falarem dolosamente. “ – Salmo 34:13

“A boca do justo profere a sabedoria, e a sua língua fala o que é justo. “ – Salmo 37:30

“Disse comigo mesmo: guardarei os meus caminhos, para não pecar com a língua; porei mordaça à minha boca, enquanto estiver na minha presença o ímpio. “ – Salmo 39:1

“A língua serena é árvore de vida, mas a perversa quebranta o espírito.” – Provérbios 15:4

“A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto.” – Provérbios 18:21

“O que guarda a boca e a língua guarda a sua alma das angústias.” – Provérbios 21:23

II – O DOMÍNIO DA LÍNGUA É PROVA DE ESPIRITUALIDADE/MATURIDADE

Não dá para falar sobre o uso da língua sem recorrermos à carta de Tiago. Vejamos:

“Vocês sabem estas coisas, meus amados irmãos. Cada um esteja pronto para ouvir, mas seja tardio para falar e tardio para ficar irado.” – Tiago 1:19

“Se alguém supõe ser religioso, mas não refreia a sua língua, está enganando a si mesmo; a sua religião é vã. “ – Tiago 1:26

Todos nós tropeçamos em algo, se alguém não tropeçar nas palavras, é perfeito, é maduro, consegue dominar todo o restante, conforme o longo texto do capítulo 3 da mesma carta, nos versículos 1 a 12, cuja leitura sugiro que faça.
Quer ver até que ponto somos pessoas maduras? A maneira como utilizamos a nossa língua ou deixamos de utilizar é uma boa resposta.

Alguns comentários do escrito por Tiago.

A língua pode pôr no chão algo construído de maneira tão demorada como uma amizade, um relacionamento.
Pode acabar com um grupo de trabalho, pode por fim a um casamento, pode atrapalhar muito a harmonia que deve haver no corpo de Cristo.

No capítulo 4:11-12, o irmão de Jesus ainda insiste que como cristãos não devemos falar mal uns dos outros, pois, agindo assim estaremos agindo como juízes, subentendido que somente Deus pode usar bem esse papel.

Esses dias alguém me disse: “Valdir, eu sei todos os seus podres, pois alguém me contou!” – Preferi ficar calado, pois, tanto quem ouve como especialmente quem fala está se deixando ser utilizado pelo diabo.

Fofoca, infelizmente, é um mal que atinge todos os agrupamentos e a igreja de Jesus não está livre disso.

“Cuidado, boquinha o que fala” é um cântico antigo. Por que devemos ter cuidado?

“Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo; porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado.” – Mateus 12:26

Imaginemos a seguinte situação:

“Alguém fala mal de mim para você. Aí você, às vezes magoado e ressentido porque é meu amigo, vem e me diz: “Fulano falou tal coisa de você”.

Meu irmão, o diabo está em ação e não sei qual dos dois está sendo mais utilizado por Satanás – a pessoa que falou mal de mim ou você que veio me trazer – pois você me envenenou contra essa pessoa.

Cresci, aprendendo: “Não me venha falar de alguém, vá falar para a pessoa…”

Qual o objetivo ao vir falar mal de um irmão: “Ajudar o irmão, pedir ajuda para melhorar o relacionamento com o irmão ou difamar o irmão e conseguir um aliado contra o irmão?” Se é para ajudar, vamos conversar. Se é somente ser maledicente, não devo nem ouvir.

Se você ouvir alguém dizer: “Vou matar, prejudicar o Valdir severamente.”
Por favor, venha me contar para que eu possa me cuidar. Porém, se a pessoa apenas falou mal de mim (ele é isso ou aquilo etc.), você não deve nem ouvir ou chamar a atenção para que a pessoa venha falar comigo. Mas, por favor, não venha me contar, não seja um instrumento do diabo na propagação de fofocas e maledicências.

III – VAMOS CONSAGRAR NOSSA LÍNGUA A DEUS – Efésios 4:25-30

Nada de mentira, nada de palavras que destroem, nada de palavras que diminuem, nada de meias verdades, nada de fofoca, nada de piadas indecentes, nada de palavrões…
Apenas palavras que edificam, que ajudam, que instruem, que levantam as pessoas.

É fácil? Claro que não! Esta mensagem é feita primeiramente para mim, que há muitos anos luto para controlar a minha língua. Quantas vezes falei e tive que pedir perdão. Porém, graças a Deus, pois muitas vezes deixei de falar ou mesmo contive o que ia falar e pude dar glória a Deus por isso.

CONCLUSÃO

Todos os dias, ao acordar, façamos dos Salmos 141:3 e 139:23-24 nossa primeira oração:

“Põe guarda, SENHOR, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios. “

“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.”

Que Deus nos abençoe tudo o que fazemos, em especial nossa língua, através de toda a palavra que sair de nossa boca. Amém!

Nota: mensagem ensinada na Igreja de Cristo no Bairro dos Pimentas em 21 de abril de 2019.

About The Author

Recent Reviews

Comentários

Veja Isso Também

A Arte da Pregação, Crescimento da Igreja, Evangelismo, Grupos Pequenos, Ministérios, Música Vocal

Latest