Select Page

3 Traços Comuns de Jovens que Não Saem da Igreja

3 Traços Comuns de Jovens que Não Saem da Igreja

Este texto a seguir não é meu, mas conta com verdade as necessidades dos ministérios de jovens. Concordo com tudo o que ele diz, traduzi e gostaria de compartilhar estes conselhos com vocês.
As estatísticas são amedrontadoras. O que estamos fazendo de errado na igreja ou em nossos ministérios de jovens? Não existe uma explicação nem solução fácil. O que podemos fazer é orar por suas vidas e continuar pregando o evangelho para eles. Existem pessoas de 20 e poucos anos que fazem parte da igreja e outros que foram para Universidade e não fazem mais parte. Qual a diferença entre elas? Quais os principais pontos que diferenciam esses dois públicos?

  1. Eles são convertidos

Paulo não usava palavras como “cristão nominal” ou “ele é um bom garoto”. A Bíblia não ameniza em momento algum pessoas sendo elas crianças, jovens ou adultos, passando a mão em suas cabeças dizendo “Ele fez algo de errado, mas ele tem um bom coração”. Quando a Bíblia fala sobre conversão, ela não cita que existe “café com leite” ou um lugar ou período no qual as pessoas estão quase culpadas ou livres. 2 Coríntios 5:17 fala que, se uma pessoa se converteu uma vez, nova criatura é, logo deixando o que estava no passado para atrás.
Precisamos, como líderes de jovens, entender exatamente o real significado do que é a salvação. Um milagre que vem da poderosa glória de Deus, mediante o trabalho do Espirito Santo.
Vamos parar de falar sobre “bons jovens” e ficar satisfeitos com nossos números nas reuniões e no nosso ministério. Devemos dobrar nossos joelhos e orar para que o Santo Espírito venha atuar fazendo milagres nos corações desses alunos para que Deus com sua santa palavra fale com eles.
Enfim, precisamos voltar ao foco na conversão. Quantos de nós estamos pregando a “cristãos não convertidos”? Líderes de jovens, precisamos pregar, ensinar e falar – o tempo todo orando fervorosamente para que a obra milagrosa de regeneração ocorra nos corações e almas dos nossos alunos, pelo poder do Espírito Santo! Quando isso acontece, quando o “velho vai” e o “novo vem” – ele não vai ter dúvidas. Nós não vamos estar lidando com um grupo de “cristãos só por nome”, estaremos prontos para ensinar, discipular, e equipar uma geração de líderes futuros. – “novas criaturas !” – Que estão com fome de saber e falar da Palavra de Deus. Eles serão cristãos convertidos que passam a amar Jesus e servir a igreja.

  1. Eles devem ser equipados e não entretidos

Recentemente, temos o “dia dos homens” escolhemos um dia para os jovens passarem juntos, praticando algum esporte, jogando vídeo games, e no final do dia nos empanturrando de pizza e refrigerante. Não sou contra a diversão ou coisas de jovens. Mas especialmente os líderes de jovens devem usar bem as palavras de Efésios 4:11-12: “E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;”
Cristo capacita os santos para o trabalho no ministério, para ensinarem como construir o corpo de Cristo. Cristo dá os professores para igreja, não para o entretenimento, mas para encorajamento, principalmente sendo exemplos de amizade. Ele nos dá a igreja para “aperfeiçoar” os santos para o ministério evangelístico, para que a igreja de Cristo esteja sempre em construção.
Se eu não equipo meus alunos no ministério de compartilhar o evangelho, discipular alguém mais novo na fé, e liderar um estudo bíblico, eu não cumpri o meu chamado para eles, não importa quão bom são meus sermões. Nós oramos pelas conversões e isso é tudo que podemos fazer, pois é um gracioso presente de Deus. Mas, depois da conversão, é o nosso dever ajudar a acender a chama da fé que serve, lidera, ensina e cresce. Se nossos alunos deixam o ensino médio sem fazer devocionais, estar hábil a estudar a bíblia, e um forte exemplo de discípulo e vida de oração, nós os perdemos. Nós temos os entretido, não equipado eles… agora é um tempo de pânico.
Esqueça o seu programa com jovens por um segundo. Nós estamos mandando esses tipos de estudantes para faculdades em outros estados, evangelizar sem mesmo perguntar se eles querem? Estamos dando o real apoio para essa finalidade, ou só provendo um bom tempo conosco? Nós não queremos jovens que sejam dependentes de eventos ou que estejam realmente presentes fisicamente e espiritualmente em momentos como retiros, festas ou atividades recreativas do ministério. Queremos jovens que cresçam como homens e mulheres da igreja que estejam equipados para ensinar, liderar e servir. Coloque suas estratégias de ministério de lado e se pergunte “Como posso ajudar um jovem antes da faculdade, aproveitar o melhor dele para que ele venha ser um diácono da Palavra de Deus em qualquer lugar podendo ajudar outros jovens a seguirem a Cristo?”

  1. Os seus pais lhe ensinaram o evangelho

Como um líder de jovens, eu não posso fazer tudo isso. Todo esse ensino de equipamento está acima dos meus limites e capacidades. é impossível para mim trazer a conversão, claro, pois é impossível formar jovens vibrantes se esse ministério não é apoiado em suas casas, precisamos que em seus lares tudo o que foi ensinado seja reforçado muitas vezes pelos seus familiares. Um traço comum que temos em jovens ministros de vinte e poucos anos é claro: uma casa em que o evangelho não é visto por fora, e sim absolutamente centralizado. Os de vinte e poucos que estão servindo, liderando e dirigindo áreas de jovens são crianças que foram obrigadas a ir a igreja com seus pais. São crianças que foram punidas por seus pais por serem rebeldes. São crianças que escutaram os pais lendo a bíblia na hora do jantar todas as noites. São crianças que foram tratadas duramente, mas seus pais trabalhavam em favor da graça, graça essa que os ajudou a educa-los, tendo a cruz como base, tendo paz com Deus e perdão mutuo.
Não existe uma fórmula! As vezes crianças crescidas em casa que priorizavam o evangelho, abandonam a igreja; e existem pessoas criadas sem nenhum fundo evangélico em suas casas, mas acham a vida eterna com Jesus, conhecem pessoas maravilhosas, se casam e formam famílias.
Não podemos prever. Em geral, crianças que são lideradas e crescem na fé juntamente com suas famílias que amam a Jesus vibrantemente, servem suas igrejas, são membros ativos e enchem suas casas completamente com o evangelho, crescendo no amor de Jesus e na igreja. As palavras em Provérbios não constituem de uma fórmula verdadeira 100% das vezes, mas elas nos trazem um principio que nasce do plano gracioso de Deus, de deleite nas palavras que passam de geração a geração “Ensina a criança no caminho que deve andar, e até quando estiver velha não se afastará dele” (Pv. 22:6).
Líderes de jovens, orem de todo o coração pela verdadeira conversão, provinda do trabalho de Deus. Equipem os jovens para o trabalho no ministério, que é o seu trabalho. Pais, Ensinem o evangelho e vivam o evangelho com suas famílias, nosso trabalho depende disso.
via faithit
traduzido por Mary McReynolds

About The Author

Recent Reviews

Comentários

Veja Isso Também

A Arte da Pregação, Crescimento da Igreja, Evangelismo, Grupos Pequenos, Ministérios, Música Vocal

Latest