Oferta de Paz

0
24

“Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta.(Mateus 5:23-24 NVI)

Essa passagem se aplica à sua vida?

Você tem inimigos? Tem adversários? E desafetos?

Se não tem… ótimo!!! A vida tem sorrido para você!

Mas quero alertá-lo de que o “irmão” que porventura teria algo contra você pode ser tão próximo e conviver de maneira tão afetuosa que nem parece sofrer esperando uma reconciliação. Não é raro me deparar com relações enfraquecidas por ressentimentos e mágoas antigos; não é difícil ouvir cristãos se queixando sobre o cônjuge, ou os pais, ou filhos, ou pessoas bem próximas que se isentam da obrigação de pedir perdão pelos erros cometidos.

Conheci o Evangelho e fui batizada aos 21 anos e, nesses 21 anos mundanos meu currículo de pecados, mentiras, enganação, rebeldia contra meus pais já era vasto! Graças a Deus pelo sacrifício de Jesus para restabelecer a paz entre o Pai celestial e eu!

Porém, aqui na terra, foi necessário que eu verbalizasse claros pedidos de desculpas para muitos, sejam pelas faltas cometidas antes de ter entendimento na Palavra, seja por faltas da jornada presente (já em Cristo), haja vista que eu ainda estou no processo de santidade e aperfeiçoamento pelo Espírito Santo que em mim habita pela misericórdia celestial.

Sejamos obedientes a esta ordem de reconciliação do Mestre Jesus. Ele prioriza a PAZ e RECONCILIAÇÃO. Se você já foi um filho rebelde, ou um marido abusivo, ou esposa rixosa, se já abusou de álcool, se já feriu sua família com palavras ou ações, ou foi mãe negligente com seus filhos, se a convivência com você era penosa… mesmo que hoje você esteja vivendo em obediência e temor ao Senhor, é certo que há pecados que causam feridas profundas em outros.

Sendo assim, HOJE é o momento de pedir perdão, de reconhecer os erros e as mágoas que causou aos outros, mesmo que eles estejam firmes na batalha, ao seu lado. A sua expressão humilde de pedido de perdão pode ser a gota de remédio para a cura de um coração machucado; pode ser a ponte para restaurar a confiança de alguém em você; pode ser a ação que faltava para que a sua pregação seja considerada por aquele “próximo”.

O pedido de perdão verbalizado, falado, dito com as palavras é tão importante que o próprio Jesus o fez por aqueles que o crucificavam: Jesus disse:

“Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo”. (Lucas 23:34 NVI)

Jesus também expressou a necessidade quando ensinava os discípulos a orarem:

Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores. (Mateus 6:12 NVI)

Em Hebreus 12.14, somos advertidos a nos esforçarmos a viver em paz e em santidade. Esse esforço também consiste em engolir a vergonha ou orgulho e agir na direção da reconciliação, ajudando também os nossos queridos próximos a darem passos rumo ao perdão e a restauração em Cristo.

Vamos lá! O SENHOR deseja a tua reconciliação antes da tua oferta!

“Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor.” (Hebreus 12:14 NVI)