Uma Nova Jornada

0
14

Junior Crispim
Junior Crispim
 Depois de servir por 10 anos à congregação em João Pessoa e 5 anos em Campina Grande, em julho de 2016 fomos convidados a conhecer a Igreja em Belem do Pará, sendo sondado ao trabalho com a congregação. Depois de meses de orações, aprofundamento na proposta e reposta positiva ao novo projeto, chegou o momento definitivo de mudarmos. Nossa filha Valeska, agora com 20 anos, decidiu ficar em João Pessoa completando seu curso, contrato de trabalho e amadurecendo seus projetos acadêmicos – deixando nosso “até logo” um pouco mais difícil.

Enfim, janeiro de 2017 foi o mês de iniciar a nova jornada. Viajamos de carro, partindo dia 9 de janeiro, tendo o privilégio de conhecer um pouco dos cinco Estados pelo qual passamos. Tantas novidades! Um misto de sabores, sotaques, expressões, vegetações que tivemos a benção de vivenciar. Alice, Lívia e Manuela, nossas três aventureiras, foram firmes e fortes na viagem, sempre animadas e curiosas diante das novas experiências. Tivemos momentos significativos que certamente estarão guardados em nossos corações.

Chegamos em Belém na tarde de 13 de janeiro, com muita chuva nos recebendo – para não descaracterizar a cidade. Ficamos ainda uma semana hospedados num aconchegante hotel enquanto organizávamos o apartamento para a moradia. A primeira quinzena aqui foi digna de maratona: comprar móveis e eletrodomésticos, encontrar escola, matricular as crianças, comprar fardamento e material escolar… até a compra de um botijão de gás foi surpreendentemente difícil! Sem a ajuda da irmandade teria sido impensável tudo isso!

Estamos agora há 2 meses nesta rica cidade e somos muito gratos a Deus pelo privilégio de servir ao Senhor e à irmandade aqui. A congregação é amável, acolhedora, os irmãos têm muita vontade de viver o Evangelho puro e simples; os cultos de adoração tem simplicidade e peculiaridades – como terminar com um abraço coletivo entoando juntos um louvor bem caloroso com o jeito belenense de ser.

Vivemos agora um momento de transição, pois a nossa chegada sinaliza a partida da querida família Fowler, que serve nesta congregação há mais de 6 anos, tendo iniciado os trabalhos aqui juntamente com a família King, que já voltou para os EUA. Diante disto, estamos vigilantes, em orações, respeitosos tendo em vista a grande mudança, mas também muito motivados a estabelecer uma boa parceria de trabalho com os irmãos que aqui estão.

Certamente haverá dificuldades e uma boa mistura de sotaques, de cardápios e experiências. Esperamos, no Senhor, que possamos ser instrumentos usados para o fortalecimento e amadurecimento desta congregação, mantendo os laços de amor e unidade imprescindíveis àqueles que professam a fé no Evangelho da Salvação. Pois, independentemente de onde somos e onde estamos, o discípulo deve ser conhecido através do amor (João 13.35) e este, por sua vez, é universal e eterno.

Junior Crispim,
Belém do Pará