Dá Para Honrar os Atuais Governantes?

0
16

Dá para honrar os atuais governantes? Eles podem não merecer, mas o Senhor deles, sim!

Imagine a cena: o soldado romano arrogantemente obriga certo judeu a carregar seus pertences por uma milha, cerca de 1,5 km. Aquele judeu era diferente, até puxou conversa na caminhada. No fim da milha, meio desconfiado com tanta boa vontade, o soldado pede seus pertences e ouve, ainda mais espantado: “Deixe, não está pesado, vou levar um pouco mais”, e acaba acompanhando o romano até sua casa, quando entrega enfim aquele peso todo. Imagine, tempos depois, o soldado descobrir que aquele misterioso judeu pertence a uma seita, conhecida como seita do nazareno, de um tal Jesus que anos antes morrera crucificado.
É de Jesus a frase:

“Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas.” Mateus 5:41

Então a resposta à pergunta do título é “sim”, dá para honrar os atuais governantes. Não porque eles sejam muito diferentes dos governantes do 1º século, mas, sim, porque nós, seguidores do Mestre, estamos desejosos de ser seus imitadores ou “perfeitos como é o nosso pai celeste”. (Mateus 5:48)

Nesse sentido a primeira razão para valorizarmos nossos governantes é porque eles estão exercendo parte da autoridade delegada pelo próprio Deus, conforme diz Romanos 13:1, 7:

“Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas… Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra”

Claro que é estranho, mas ser cristão é viver de maneira estranha mesmo, quando os valores são invertidos. Veja o conselho do apóstolo Pedro:

“Tratai todos com honra, amai os irmãos, temei a Deus, honrai o rei.” – 1 Pedro 2:17

Há várias maneiras para valorizarmos os governantes. Às vezes se pensa que não podemos apontar seus erros, não é isso, mas, mesmo quando os criticamos, devemos fazer com respeito.

Às vezes recebo o compartilhamento nas redes sociais de uma frase crítica em relação ao Presidente, aos governadores, aos políticos em geral e na maioria das vezes eu concordo com ela. Porém, quando é uma palavra desrespeitosa, com palavrões, palavras chulas ou depreciativas, ela para comigo, não comento, nem compartilho.

Até porque as redes sociais se tornaram uma armadilha. Onde trabalho, no Tribunal de Justiça de São Paulo, há colegas respondendo processos administrativos exatamente por terem ofendido autoridades constituídas, algo proibido para nós servidores públicos. Uma coisa é apontar erros, até para ajuda-los na correção. Outra é lançar acusações que serão difíceis de provar (mesmo sendo verdadeiras) ou mesmo inverídicas. Infelizmente, as redes sociais têm sido um instrumento para se injuriar, caluniar e difamar. E quem pratica tais atos pode acabar tendo que responder judicialmente.

“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda piedade e respeito.” 1 Timóteo 2:1-2

Finalmente, a boa maneira de honrar nossos governantes é reconhecer quando acertam e orar a Deus para acertem mais do que errem, uma vez que, como seres humanos, são passíveis dos mesmos erros que nós.

Sim, com Jesus, aprendemos a amar e honrar o que Ele mais valoriza, seres humanos, criados à imagem e semelhança de Deus, por quem não hesitou, mas entregou sua vida na cruz.

Assim quando for tentado a tratar com desrespeito uma autoridade, lembre-se: ela está ali por delegação do próprio Deus, seu Pai. Seja pelo voto direto (no caso do Brasil), seja indireto ou mesmo por revolução.

À Ele, e não a você, o governante prestará contas.