Vida Cristã não tem “Stand By”

“O semeador semeia a palavra. Algumas pessoas são como a semente à beira do caminho, onde a palavra é semeada. Logo que a ouvem, Satanás vem e retira a palavra nelas semeada. Outras, como a semente lançada em terreno pedregoso, ouvem a palavra e logo a recebem com alegria. Todavia, visto que não têm raiz em si mesmas, permanecem por pouco tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo a abandonam.

Outras ainda, como a semente lançada entre espinhos, ouvem a palavra; mas quando chegam as preocupações desta vida, o engano das riquezas e os anseios por outras coisas, sufocam a palavra, tornando-a infrutífera. Outras pessoas são como a semente lançada em boa terra: ouvem a palavra, aceitam-na e dão uma colheita de trinta, sessenta e até cem por um”. (Marcos 4:14-20)

Na parábola do semeador, Jesus fala de 4 tipos de pessoas:

A primeira, ouve a palavra, mas Satanás logo vem e retira o que foi semeado. Podemos imaginar uma pessoa que vive mergulhada nos prazeres do mundo, sem perceber a urgência de cuidar da vida espiritual, sem interesse naquilo que é divino.

A segunda, ouve e recebe a palavra com alegria, mas não se firma na caminhada cristã por conta das dificuldades e perseguições por causa da palavra. O tipo de pessoa que, ao pesar e medir os custos, optam por não pagar o preço de ser cristão, considerando como perda, decidindo viver na comodidade do mundo, sem firmeza de esperar o ganho celestial prometido na Palavra.

A terceira, também ouve e acolhe a palavra, porém, o mundo oferece muitas coisas e ela é enredada pelo aqui e agora. Isto faz com que esta pessoa se torne infrutífera. Interessante perceber que a semente é acolhida pela pessoa, mas, ao ser sufocada pelas ocupações e preocupações, a semente não frutifica.

A quarta pessoa é terreno fértil, solo bom que aceita a palavra e frutifica, agradando a Deus.

Numa reunião de oração ouvimos a confissão de um irmão que esteve afastado por quatro meses; ele nos alertava do quanto era fácil se afastar. Este irmão vinha num ritmo de estudos bíblicos semanais, com todo o esforço, mesmo depois de um dia pesado de trabalho em construção civil, mas estava lá firme, sedento… de uma semana para outra, começou a pensar em ocupar os domingos trabalhando também, preocupado com o novo filho que está para nascer e as novas despesas… falou que, aos poucos foi ‘escorregando ladeira abaixo’, sem perceber. No início sentia uma falta e uma culpa por não estar presente nas atividades da igreja, mas, como passar das semanas, as desculpas se tornaram plausíveis na mente e assim, ele ia se desculpando internamente e pensando: “Estou só dando um tempo, daqui a pouco eu volto; preciso resolver umas coisinhas e depois apareço.”

Graças a Deus que ele conseguiu deixar que o Espírito do Senhor o movesse de volta para a comunhão. Ele contou que já sentia velhos hábitos voltando numa facilidade enorme… e a guarda já ia abaixando cada vez mais.

E juntos, refletimos no fato de como é fácil mudarmos o foco! Como é fácil ser a terceira pessoa que Jesus falava na parábola! Como é fácil ser o tipo de pessoa onde a semente é sufocada e não frutifica! Até as bênçãos podem nos tirar o foco e nos fazer esquecer do alimento principal, o que nos nutre para continuarmos frutificando. Os apetites mais perigosos não são por algo venenoso, ou mortal, mas pelos prazeres simples da terra, estes vão nos enchendo e nos saciando até substituírem o apetite pelo próprio Deus.

Que estejamos alerta para que as demandas da vida não retirem nosso foco. É importante considerarmos que a caminhada cristão não entra em “Stand By”, ou “Função Soneca”… não existe parada no cronômetro do tempo com Deus.

No relacionamento com o Senhor só existe duas opções: ESTAR MAIS PERTO DE DEUS, ou ESTAR MAIS LONGE DE DEUS. Se suas decisões não estiverem alinhadas ao fato de estar mais perto de Deus, então, você só pode estar se afastando de Deus.

Cuidado! A ocupação e preocupação com as demandas do mundo só resultam em estagnação, ociosidade, desinteresse e desânimo na vida espiritual. Estas coisas, quando colocadas acima do interesse pela Palavra e pela atuação no Corpo de Cristo, tornarão o cristão infrutífero.

Deus deseja se relacionar conosco e se coloca disponível para todo aquele que deseja estar perto dEle. Ele nunca irá criar empecilhos para que nos aproximemos da Sua presença, Ele está disposto a nos nutrir do que há de melhor para sermos frutíferos nas obras que Ele preparou para nós. Sendo assim, cuidemos para que a nossa mente e vontade não criem barreiras no nosso relacionamento com Aquele que é Perfeito e Soberano – DEUS.

Vocês foram ressuscitados com Cristo. Portanto, ponham o seu interesse nas coisas que são do céu, onde Cristo está sentado ao lado direito de Deus. Pensem nas coisas lá do alto e não nas que são aqui da terra. (Colossenses 3:1-2)

Katia Crispim
Sobre Katia Crispim 30 Artigos
Kátia Crispim é casada com Júnior, mãe de 4 filhas, psicóloga por formação. Motivada pelo chamado do esposo evangelista e o ardor no coração, já serviu à igreja em João Pessoa e Campina Grande. Atualmente, mora em Belém do Pará, onde tem servido à congregação.