Valiosos Para Deus (Salmo 8)

Sabe quando, antes de falarmos algo, ao pensar no assunto, nossas emoções nos traem? A emoção é tanta que as lágrimas aparecem primeiras, a voz fica embarga…

É o que parece estar acontecendo com Davi, quando começa a escrever o salmo 8, nosso texto desta semana. Inspirado por Deus, o salmista começa com a exclamação:

“Ó Senhor, Senhor nosso, como é magnífico o teu nome em toda a terra! Pois puseste nos céus a tua majestade” (NAA)

NVI: “Senhor, Senhor nosso, como é majestoso o teu nome em toda a terra! Tu, cuja glória é cantada nos céus.”

“Ó SENHOR, nosso Deus, a tua grandeza é vista no mundo inteiro. O louvor dado a ti chega até o céu.” (NTLH)

Chama ainda a atenção o fato de o salmo terminar repetindo essas mesmas palavras no vs, 9. O que teria produzido no salmista esta admiração e toda essa emoção? É o que veremos daqui em diante.

Este salmo é citado duas vezes no Novo Testamento: Mateus 21:16 quando os líderes judaicos criticaram o louvor que as crianças estavam fazendo a Jesus e o Mestre diz que das crianças Deus tira o perfeito louvor. Também em Hebreus 2:6-8 aplica-se ao próprio Jesus, que por um pouco foi feito menor que os próprios anjos.

Porém, no contexto em que foi escrito, a aplicação é outra. Afinal, o que teria impressionado tanto o salmista a ponto de no início e fim do Salmo ele louvar a Deus desta maneira?

A natureza, por si só, fez Davi louvar a Deus e deve também causar em nós motivos para exaltar o Criador.

“Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste” – vs. 3

Na Bíblia, especialmente no Velho Testamento, Deus é, em primeiro lugar, o CRIADOR DE TUDO.

Aqui na cidade não dá pra perceber tanto, mas na praia, ao contemplarmos a imensidão de todo o mar, numa noite sem nuvens na zona rural, quando contemplamos o céu, podemos ter essa mesma experiência do salmista.

Davi, provavelmente pensa em Gênesis 1:1: “No princípio, Deus criou os céus e a terra” e a cada dia Deus foi fazendo, criando…

O salmo fala “os teus céus” – o céu é muito mais que esse azul que contemplamos: Paulo diz ter ido ao terceiro céu (2 Coríntios 12:3. Fala-se da existência de 7 céus, talvez demostrando a perfeição de Deus e da sua criação.

O salmista deve estar pensando no próprio vs. 26-a de Gênesis, quando nós, seres humanos, fomos criados: “E Deus disse: Façamos o ser humano à nossa imagem, conforme a nossa semelhança”

O impressionante, é que o conhecimento do salmista era limitado quando comparado ao nosso, da vastidão do Universo, com bilhões e bilhões de planetas, estrelas, sistemas como o nosso, galáxias. Quanto mais o ser humano conhece a complexidade da criação de Deus, mas ele teria motivos de cair de joelhos diante do Seu Criador. Infelizmente, acontece o contrário.

Voltando ao salmo 8, no versículo 4, Davi pergunta: “Que é o homem, para que dele te lembres?”
Na Palavra Deus, quando aplicado ao Senhor, o verbo “lembrar” tem uma conotação diferente da nossa. Nós, seres humanos, lembramos daquilo que tínhamos esquecido – nossa memória falha, por isso escrevi um artigo neste espaço defendendo que tenhamos uma agenda para anotar nossos compromissos – entretanto, Deus, jamais se esquece.

Mas, LEMBRAR na Bíblia é quando Deus atenta de maneira especial, e da uma atenção especial, que eu chamo de tratamento vip àqueles de quem ele se lembra. Vejamos alguns exemplos bíblicos:

Gênesis 8:1 – “Então Deus se lembrou de Noé e de todos os animais selvagens e de todos os animais domésticos que estavam com ele na arca. Deus fez soprar um vento sobre a terra, e as águas começaram a baixar”.

Gênesis 19:29 – “Assim, quando destruiu as cidades da campina, Deus se lembrou de Abraão e tirou Ló do meio da destruição, quando subverteu as cidades em que Ló tinha morado.”

Gênesis 30:22 – “Deus lembrou-se de Raquel, ouviu-a e a fez fecunda. Ela engravidou e deu à luz um filho. Então disse: — Deus tirou de mim o meu vexame.”

Êxodo 2:24 – “Deus ouviu o gemido deles e lembrou-se da sua aliança com Abraão, com Isaque e com Jacó. Deus viu os filhos de Israel e atentou para a situação deles.”

Os exemplos acima são suficientes para entender o que o salmista quer dizer. Em toda a história bíblica, vez após vez, Deus se lembra do ser humano, no sentido de atentar para ele de maneira especial e agir de uma forma amorosa. No próprio livro de Salmos, essa “lembrança” do Senhor é mencionada.

Voltando ao salmo 8, Davi mostra que Deus criou o homem e se lembrou dele, tratando-o de maneira especial, como podemos ver nos vs. 5-8:

“Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que Deus e de glória e de honra o coroaste. Deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste: ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; as aves do céu, os peixes do mar e tudo o que percorre as veredas dos mares.”
O salmista diz: “Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor que Deus”.
Não em tamanho, mas em grau de importância, ao nos criar a imagem e semelhança de Deus. Todos os seres humanos têm esta diferença – criados à imagem e semelhança do seu Criador – imagem muitas vezes desbotada pelo pecado. Isto faz de cada um de nós, preciosos aos olhos do Senhor.

“De glória e honra o coroaste” – desde o jardim do Éden, começando ao nos dar o privilégio de escolher o nome de cada animal criado. (Gênesis 2:19). No Velho Testamento, poder dar o nome era ter importância, era ter domínio.
O salmista continua, ao dizer que toda a criação foi confiada ao homem. – tudo está aos pés do ser humano, que, infelizmente, tem cuidado tão mal da criação que lhe foi confiada pelo Criador.

Porém, quero deixar a melhor parte para o final, quero mostrar aquilo que nem em sonhos Davi sabia como seria aplicado. Quero voltar ao vs. 4:

“Que é o homem, para que dele te lembres? E o filho do homem, para que o visites?”

No Velho Testamento, há varias manifestações de Deus, chamadas de TEOFANIAS, quando Deus teria visitado os seres humanos em forma humana, como podemos ver em Gênesis 19, quando três homens visitam Abraão (anjos ou a trindade em forma humana? Os estudiosos divergem)

Porém, somente no Novo Testamento, podemos ler em João 1:14:

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade,”

Jesus tabernaculou entre nós, fez sua tenta entre nós e por 33 anos viveu entre nós de maneira especial. Paulo, em Filipenses 2:5-8 diz que Jesus abriu mão de parte de sua glória e topou ser reconhecido em figura humana, se humilhando até a morte e morte de cruz.

Você já recebeu a visita de pessoas que considera especiais? Lá em casa, quando vem uma visita assim, Silvia se desdobra para arrumar ainda melhor a casa. Infelizmente, a maioria das pessoas não se atentou para a visita ilustre que recebemos no primeiro século, lá na Palestina. Portanto, o salmista diz, quem é o homem para que Deus dele se lembre e os 66 livros da Bíblia contém relatos e histórias das diversas maneiras que Deus já se lembrou do ser humano.

Porém, no Novo Testamento, Deus consegue superar-se ao topar visitar o ser humano na pessoa de Jesus e isto ecoa em João 3:16, quando mostra que Deus nos amou de tal maneira que deu o que tinha de mais valor, seu próprio Filho para resgatar o ser humano.
Disto o salmista e escritores do Velho Testamento não sabiam e nós temos o privilégio de saber.

Quero, finalizar, deixando 5 aplicações destas verdades tiradas do Salmo 8:

1. Temos ainda mais motivos o que o salmista pra dizer: “Ó, Senhor, Senhor nosso, como é magnífico o teu nome em toda a terra!”.

A maioria das pessoas não conhece o que acabamos de ver na Palavra de Deus. Nós, que entendemos a Palavra de Deus, temos esse maravilhoso privilégio.
Muitas pessoas se acabam na busca frenética por dinheiro, por fama, por poder, por prazer, tentando preencher o vazio que somente Deus pode preencher.
O salmista conhecia parte da verdade: o homem criado por Deus, sendo constantemente lembrado. Nós conhecemos ainda mais, a visita ilustre de Deus que recebemos na Palestina. E isto por si só deve ser motivo para todos os dias acordamos com muitos motivos para louvarmos com nossas vozes e nossa vida esse Deus maravilhoso que temos.

2. A importância que Deus me dá: criado por Deus e recriado por Cristo, isto deve ter impacto em minha maneira de viver.

Pessoas se suicidam, pessoas passam por depressão, pessoas escravas das drogas, pessoas vivendo vidas miseráveis, pessoas sendo desonestas, mentirosas, imorais, falta entender que não foi para este fim que fomos criados pelo nosso Criador e, depois recriados por Jesus.

Por que devo topar lutar contra o pecado, usar o poder do Espírito Santo para viver da maneira que Deus ensina? Por que sou valioso aos olhos de Deus, Ele me criou, não quer que eu me estrague e por isso mandou esse manual de instruções, A Bíblia, que me ensina a lidar comigo mesmo.
Quando entendemos o valor que temos aos olhos de Deus, vamos desejar viver nos adequando àquilo que nosso Criador deseja de nós.

3. A importância que Deus dá aos seres humanos deve impactar também a nossa maneira de tratar as outras pessoas

Alguém que entende o valor de Deus dá às pessoas, também vai olhar os seres humanos, com suas falhas e imperfeições, cada vez mais, da maneira como o Criador olha.
Jesus não morreu por nossos objetos, pelos bens materiais, nem mesmo por este planeta físico – Jesus morreu pelas pessoas que habitam este planeta.

Isto deve impactar minha maneira de tratar as pessoas – tão valiosas que Deus não hesitou em mandar o que tinha de maior valor, seu Filho, para resgatar essas pessoas. Assim, temos motivos para valorizar cada ser humano, em especial aqueles que estão ao nosso redor.

4. Para nós, cristãos, que conhecemos não somente parte do plano de Deus, mas todo o plano de Deus, mais do que ninguém, somos chamado para valorizarmos os seres humanos criados à imagem e semelhança de Deus, para cumprirmos o segundo mandamento e, em especial, para falarmos de tão grande notícia que o mundo não conhece – Deus criou, se importa, se lembra, nos visitou, para que um dia, não apenas fôssemos visita-lo, mas possamos passar a eternidade ao lado do nosso Criador. A maior motivação para pregarmos o evangelho não é porque é mandamento, mas uma resposta do amor de Cristo que, como Paulo diz, “nos constrange” a desejar compartilha-lo com os outros (2 Coríntios 5:14).

5. Finalmente, o meu valor, o seu valor, independe do que você possua (suas posses), de sua aparência, de seu desempenho, o seu valor está ligado ao valor que Deus dá a você e a mim, nos criando à imagem dele próprio e nos recriando através da vida e obra de Jesus.
Assim, jamais permitamos nos desvalorizar ou mesmo vermos outros sendo desvalorizados. A importância do homem, da mulher, da criança, de qualquer pessoa, está baseada na enorme importância que Deus dá a cada um de nós.

Qual é a conclusão deste longo artigo:

Todos os dias nós podemos, como o salmista, acordar, olhar para a criação, olhar para nós mesmos, olhar para a obra da cruz e dizer:

“Ó Senhor, Senhor nosso, como é magnífico o teu nome em toda a terra!”

ALELUIA!

Valdir Silva
Sobre Valdir Silva 69 Artigos
Valdir José da Silva é servo de Deus na cidade de Guarulhos e editor do boletim inter-congregacional Amo Jesus. Discípulo de Jesus há quase 30 anos, é servidor público Estadual no Tribunal de Justiça de São Paulo e serve como um dos evangelistas da igreja de Cristo no Bairro dos Pimentas, Guarulhos/SP.