Quem é Deus?

Por mais criativos ou artísticos que possamos ser jamais poderemos representar de uma forma compreensível e universalmente aceitável quem é Deus. Qual a implicação disso? Não saber ou não conseguir representar Deus quer dizer que não sabemos quem é Deus! Puxa! Mas estamos tão distantes assim? Afinal não fomos criados à Sua imagem e semelhança? Por que, então, colocar uma imagem humana no papel não nos satisfaz? Temos, então, a noção de que a imagem e semelhança de Deus se perdeu e não é a nossa imagem e semelhança uma boa representação sobre Deus.

E você, quando você pensa em Deus, como pensa sobre Ele? Qual é a imagem ou representação que te satisfaz sobre Deus? Dizer que Deus é Espírito é verdade, mas não nos informa quase nada sobre Deus, pois não sabemos o que é ser Espírito.

Quando nós temos uma pergunta importante como esta, mas olhamos para a direção errada, teremos a resposta errada. A resposta está mais perto do que imaginamos. Os apóstolos entenderam a mensagem sobre quem é Deus. Precisamos olhar para trás e não para cima, para sabermos quem é Deus. Olhando para trás, sempre em direção à fé, encontramos nossos irmãos e um deles nos dá uma dica:

“Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê” (1 Jo 4:20).

Nós não vemos Deus, mas vemos aos irmãos. Onde está Deus? Pela lógica responderíamos: em nossos irmãos. E é isso aí, a forma divina é a imagem dos nossos irmãos. Vamos olhar melhor para isso. Precisamos conhecer a Deus.

Jesus é o Verbo (Palavra) de Deus. Deus fez todas as coisas por intermédio de Jesus. Jesus veio como luz para este mundo, mas o mundo não o conheceu. O povo judeu que o conheceu, não o recebeu, mas todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus. Eles creram em Jesus como luz e nasceram da vontade de Deus, assim se tornaram novamente à imagem e semelhança de Deus (Jo 1:1-13). Para que tudo isso acontecesse, para que Deus fosse aceito, Ele se fez em semelhança humana:

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (Jo 1:14).

Você consegue entender seus irmãos? Sim, você consegue. Eles têm necessidades, sentimentos, medos, frustrações e problemas como você. Viu como você consegue entender uma pessoa? Então, agora, olhe para Jesus. Ele se tornou ser humano como nós e foi tentado em todas as coisas, como nós. Novamente o apóstolo João fala sobre Jesus: “…estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (1 Jo 5:20). Isso aí. Jesus é o verdadeiro Deus e a própria vida eterna. Quando, então, pensar em Deus, pense em Jesus. Mesmo sendo Deus, nos dá exemplo de servidão:

“Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai” (Fp 2:5-11).

Quando amamos aos irmãos, estamos amando a Deus, pois Deus habita em cada irmão pelo Espírito Santo.

“Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão” (1 Jo 4:21)