Pela Graça, Mas Não de Graça

Todos nós somos convidados para sermos salvos pela graça, mas não de graça. Se você não deixar tudo o que tem, não pode ser discípulo. Se não negar tudo e todos que ama, não pode ser discípulo. Talvez isso não signifique deixar o emprego ou a família, é lógico, mas também não significa não precisar fazer nenhum sacrifício. Sem dúvida tem que amar menos tudo o que não tem que deixar. Se você ama seu marido ou esposa, seus filhos e seus pais, então vai ter que colocá-los em segundo plano e amar mais àquele que morreu lá na cruz por você. Além de ter que negar e amar menos tudo e a todos, o maior sacrifício ainda é pedido: negar a si mesmo e amar menos até a própria vida… Então, quem disse que é de graça?

Então, é verdade que você não vai ter que pagar para alguém e se estiver pagando ou já tenha pago, já sabe que foi enganado, não é? Ah, não compre promessas, nem um terreno lá no céu, não tem preço que possa pagar além do qual já foi pago. Sim, a graça foi paga! Alguém, você já deve saber quem, deu tudo o que tinha para que nós pudéssemos ser salvos. Ele teve que fazer isso porque tudo o que tem neste mundo e nada o que uma pessoa é, pode salvá-la.

“Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na desobediência. Anteriormente, todos nós também vivíamos entre eles, satisfazendo as vontades da nossa carne, seguindo os seus desejos e pensamentos. Como os outros, éramos por natureza merecedores da ira. Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida juntamente com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões — pela graça vocês são salvos. Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus, para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza de sua graça, demonstrada em sua bondade para conosco em Cristo Jesus. Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2:4-9)

Esta passagem descreve bem a nossa situação e a graça. O pecado nos mata. Sim, isto mesmo! Tudo aquilo no que acostumamos viver seguindo a ordem deste mundo e de satanás. Obedecer a ordem deste mundo nos qualifica como desobedientes de Deus. Viver só satisfazendo os desejos da carne e dos pensamentos nos escravizam e nos coloca no alvo da justiça de Deus. Porém, Ele nos amou de tal maneira que nos enviou Jesus mesmo não merecendo, pois estávamos mortos e com razão, por nossos pecados. Deus decidiu nos SALVAR PELA GRAÇA. Para que isso fosse possível, alguém teve que pagar o preço, pois quem peca merece morrer. Olha lá nós no centro do alvo.

Por que Deus decidiu nos salvar? Para mostrar para sempre “a incomparável riqueza de sua graça”. Sendo assim, não importa o quão bons somos, quanto tenhamos sido generosos, quanto tenhamos sido melhores que muitos em comparação, somos salvos pela graça e não por boas obras. Salvação é um presente de Deus. Ninguém pode se vangloriar nos seus próprios atos. Isto não quer dizer que não precisamos fazer boas obras porque elas não vão nos salvar mesmo. Isto não quer dizer que não devemos nos esforçar para ser santos e para desenvolver a salvação porque somos salvos pela graça. Devemos, sim, fazer boas obras, nos esforçar para ser santos e desenvolver a salvação porque fomos salvos pela graça. Omissão é pecado (Tg 4:17). Além disso, devemos ser generosos, devemos melhorar quem somos, devemos ter compaixão e amor pelo próximo, devemos ser radicalmente fiéis ao culto e tudo o mais que sabemos que temos que fazer porque SOMOS SALVOS PELA GRAÇA. Aquele que deixa de fazer o que sabe ser seu dever volta atrás e o estado pode ser pior do que antes de ser salvo pela graça.

“Se, tendo escapado das contaminações do mundo por meio do conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, encontram-se novamente nelas enredados e por elas dominados, estão em pior estado do que no princípio. Teria sido melhor que não tivessem conhecido o caminho da justiça, do que, depois de o terem conhecido, voltarem as costas para o santo mandamento que lhes foi transmitido. Confirma-se neles que é verdadeiro o provérbio: “O cão voltou ao seu vômito” e ainda: “A porca lavada voltou a revolver-se na lama”.” (2 Pedro 2:20-22)

Não é impossível ser salvo, aliás, para os homens, sim, é impossível. Para Deus tudo é possível. É com dificuldade que uma pessoa é salva, mesmo que pela graça. Um alto preço para ser salvo é a perseguição e o sofrimento para conquistar e ser conquistado pela graça.

“Se vocês são insultados por causa do nome de Cristo, felizes são vocês, pois o Espírito da glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vocês. Se algum de vocês sofre, que não seja como assassino, ladrão, criminoso ou como quem se intromete em negócios alheios. Contudo, se sofre como cristão, não se envergonhe, mas glorifique a Deus por meio desse nome. Pois chegou a hora de começar o julgamento pela casa de Deus; e, se começa primeiro conosco, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus? E, “se ao justo é difícil ser salvo, que será do ímpio e pecador? ” Por isso mesmo, aqueles que sofrem de acordo com a vontade de Deus devem confiar suas vidas ao seu fiel Criador e praticar o bem.” (1 Pedro 4:14-19)

Sabendo, então, que a graça foi paga com alto valor e que é com dificuldade que somos salvos, como deve ser o nosso comportamento? Jesus disse que devemos, sim, ser melhores até mesmo do que os que têm fama de serem os melhores.

“Pois eu lhes digo que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus.” (Mateus 5:20)

Se os religiosos fazem isso, aquilo e aquilo outro para serem vistos, nós, sem tocar trombeta, devemos não só imitar, mas, porque SOMOS SALVOS PELA GRAÇA, nossa justiça e obras devem ser superiores às dos religiosos. Por que? porque SOMOS SALVOS PELA GRAÇA.