Oremos Pelos Governantes

Estamos vivendo momentos históricos no Brasil. Poderia ser para que nos orgulhássemos dos acontecimentos, mas vemos uma parte da nossa imagem. Nos envergonhamos ou seguimos a multidão que grita “FORA”? Como filhos de Deus, ficamos à direita ou à esquerda? Como filhos de Deus, que bandeira devemos empunhar e levantar até que tudo isso acabe e o justo prospere? Rapidamente lembro de uma guerra do povo de Deus em que chegaram à conclusão: “o Senhor é minha bandeira” (Ex 17:8-16).

Nossa Identidade

Antes de qualquer coisa, precisamos pensar quem somos nós. Nós fomos chamados das trevas para a maravilhosa luz. Nós estamos de passagem para este mundo e cada um de nós fazemos parte de um plano maior que, colaboremos ou não, vai dar certo no final. Se quisermos fazer parte do plano de Deus, seremos beneficiados, se nos recusarmos vamos nos arrepender, mas será tarde demais.

Estamos neste mundo, mas somos embaixadores de um lugar onde não existirá mais sofrimento, nem choro. A morte lá já foi vencida e ela representa a vitória daqueles que morreram na presença do Senhor. Por isso mesmo vivemos nesta terra cheios de esperança e compartilhando o convite estendido a todos àqueles que, como nós, o aceitaram pela graça.

“Portanto, não participem com eles dessas coisas. Porque outrora vocês eram trevas, mas agora são luz no Senhor. Vivam como filhos da luz, pois o fruto da luz consiste em toda bondade, justiça e verdade” (Ef 5:7-9)

Nossa Lei

Deixando o romantismo e o ideal de lado, a vida aqui está dura, mas não deixa de ser passageira. Abra o jornal hoje, abra aquela site de notícias. Leia sobre as pessoas que morreram só hoje: um ator, 50 soldados na Síria, pessoas com Ebola no Congo, um executivo de uma grande corporação, etc. Segundo um levantamento da ONU 146.880 morrem por dia no mundo. Se não tivermos esperança e um ideal, comamos e bebamos que amanhã morreremos. Agora é hora de brilhar a ponto das pessoas que nos rodeiam perguntar por que reagimos diferente e com esperança, fé e amor mesmo em face às ameaças políticas, morais e sociais.

“Se é somente para esta vida que temos esperança em Cristo, somos, de todos os homens, os mais dignos de compaixão.” (1 Co 15:19)

Tendo dito isto, precisamos brilhar agora em que as trevas se manifestam. Nosso comportamento em relação às notícias recentes e, piores coisas podem vir, deve ser conforme a vontade de Deus. Afinal, temos um encontro marcado com Ele. Enquanto neste mundo o Senhor nos lembra:

“Se vivemos, vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor” (Rm 14:8).

“Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus.” (1 Pedro 2:16)

Eu aceitei o acordo e preciso me adequar, mesmo com dificuldade, ao Testamento selado com sangue. Não nos igualemos aos homens e suas desesperanças. Afinal brilhamos ou fazemos parte do mar de trevas que marcha contra ou a favor de homens e seus interesses? Mesmo vivendo aqui, nossa luta é feita com outros recursos:

“Pois, embora vivamos como homens, não lutamos segundo os padrões humanos.” (2 Coríntios 10:3)

Nossos Governantes

Quanto ao nosso comportamento em relação às notícias e aos nossos governantes, vamos fazer o que funciona e só vamos saber que funciona se fizermos e tivermos fé o suficiente (um grão de mostarda) a ponto de transportar montanhas. Ao invés de se juntar às multidões com pedras e paus nas mãos, de procurar o culpado (não precisa procurar muito), vamos fazer o que nossa lei nos diz.

Em primeiro lugar, recapitulando, você acredita que foi chamado por Deus para a Luz e que Ele tem um plano maior que está se desenvolvendo para o bem daqueles que o amam e obedecem os seus propósitos? Então você deve se sujeitar às autoridades, pois eles estão lá porque Deus assim quis. Deus estabeleceu nossas autoridades Brasileiras para cumprir o seu propósito (Rm 13:1). Não devemos criticar, xingar, amaldiçoar. Quanto ao mal que estão fazendo? Vão ter que responder diretamente a Deus, assim como você também vai ter que responder. Quando? Você também não sabe quando… melhor é pedir por misericórdia tanto para eles quanto para você, porque quem não é misericordioso, não receberá misericórdia.

Se você se rebelar e eles usaram as armas que têm para se defender, estão dentro do seu direito, pois foram instituídos por Deus (Rm 13:2). Quem deve ter medo das autoridades, é quem pratica o mal. Quanto a você, fique na sua atitude a qual foi chamado. No final das contas, as autoridades foram instituídas por Deus para o seu bem. Afinal, você confia ou não em Deus? (Rm 13:4). Sua atitude deve ser em relação à sua consciência a Deus e não à uma ideologia ou partido (Rm 13:5). Claro que você deve discordar da corrupção, da mentira, dos crimes, mas a forma é tão importante quanto o como fazer isso. Existe, sim, uma forma que funciona muito bem. Qual foi a última vez que você a usou?

Nossos governantes precisam agora da sua oração. Não, não estou dizendo que eles merecem, como nós também não merecemos benção nenhuma. Eu disse que eles precisam. Você vai ler uma passagem abaixo em que o contexto era de perseguição e morte contra os filhos da luz. Compare com sua condição hoje. Você também precisa orar por eles para o seu próprio bem. Então, leia esta passagem abaixo, depois faça a sua oração:

Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens; pelos reis [presidente] e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador, que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade” (1 Tm 2:1-4 – a ênfase é minha)

Faça sua oração…

Nossos Irmãos e Semelhantes

Finalmente, quanto às demais pessoas que têm crenças ideológicas diferentes dos nossos pensamentos, temos também bom conselho da parte de Deus para nós. Depois que tudo isso passar, nós estaremos ilesos e prontos para receber os amigos:

“Não retribuam a ninguém mal por mal. Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos. Façam todo o possível para viver em paz com todos. Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: “Minha é a vingança; eu retribuirei”, diz o Senhor. Ao contrário:
“Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer;
se tiver sede, dê-lhe de beber.
Fazendo isso, você amontoará brasas vivas
sobre a cabeça dele”.
Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem.” (Rm 12:17-21)

Deus te abençoe ao brilhar como Jesus!