O Que Precisamos Para Viver

Eu quero ser feliz. Desejo toda a felicidade que o dinheiro possa comprar ou não. Melhor que seja felicidade gratuita porque não posso pagar muito ultimamente. Desejo ter uma casa confortável, um bom carro na garagem, um tablet de última geração. Desejo ter o último lançamento da Apple… O que mais eu preciso para viver? Quero viajar bastante e pra bem longe, mas sempre ter um lugar pra voltar. Quero uma família harmoniosa, alegre e em paz. Bem, é disso que eu preciso para viver…

Afinal, o que precisamos para viver? Alguém vive sem dinheiro, uma casa, família? Sim! Centenas de pessoas vivem sem tudo isso e muitas vivem sem nada disso. Não precisamos de nada disso para viver. Assisti numa reportagem sobre a Índia, um país com mais de um bilhão de pessoas, em que milhares de pessoas nascem, vivem e morrem sem nunca terem tido uma casa para morar. Não precisa ir muito longe. Inúmeros mendigos em nossas cidades comprovam que não se precisa de família, casa, carro e até mesmo emprego e dinheiro para viver. Eles vivem sem nada disso e sem compromissos e dívidas.

Existem pessoas que procuram felicidade no consumismo mas logo a pessoa entra em depressão depois de uma euforia inicial por ter atingido seu objetivo. Outras tantas pessoas gostariam de ter pelo menos o mínimo e morar numa favela. Me lembra o Gabriel Pensador cantando:

“O meu sonho é morar numa favela
Eu me chamo de excluído como alguém me chamou
Mas pode me chamar do que quiser seu doutor
Eu não tenho nome
Eu não tenho identidade
Eu não tenho nem certeza se eu sou gente de verdade…
Eu sou o resto
O resto do mundo
Eu sou mendigo um indigente um indigesto um vagabundo
Eu sou… Eu não sou ninguém”

Para viver a gente só precisa mesmo de água, comida e roupa. Só isso mesmo! Ninguém vive sem esta trilogia repetitiva. Não, não é arroz feijão e ovo. Mas se você quer mesmo ter muito mais do que isso, então vai ter que pagar pelas consequências disso. Não, não tô dizendo que você deveria querer morar na favela e ser um mendigo. Eu só tô lembrando a mim mesmo, e a você, de que a gente precisa de bem menos do que a gente acha que precisa. Bem menos do que a gente quer. Pagamos caro pelo que não precisamos para viver. Pelo conforto, pela ostentação, pela Internet em casa, pelos desejos, pela cobiça… Permita Jesus falar com você abaixo…

“Portanto eu lhes digo: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que a roupa? Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?” (Mateus 6:25-27)

Vá até Jesus, sente-se aos pés dele, diariamente, com tanta intensidade assim como você busca o alimento diário. Ele pode te ensinar a confiar mais, a se preocupar menos. Você é convidado a observar a mão de Deus na natureza, na criação, no homem, no tempo, no tempo em que se vive, e em você mesmo. Continue sentado aos pés de Jesus e ouça o que Ele tem a te dizer:

“Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé? Portanto, não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer?’ ou ‘Que vamos beber?’ ou ‘Que vamos vestir?’ Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas” (Mateus 6:28-32)

Mas você ainda precisa realmente ter uma preocupação na vida. UMA SÓ! A maior e a melhor preocupação é com o que interessa, com o que realmente nos manterá vivos para além desta vida.

Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal.” (Mateus 6:33, 34)

Para ser salvo (viver eternamente) você também só precisa de pouco, na verdade dos mesmos elementos que você realmente precisa para viver. Você precisa nascer das águas (Jo 3:5), se alimentar do pão do céu (Jo 6:51) e se revestir de Cristo (Gl 3:27), negando a própria pele em que vivemos. Menos é mais…