Ministros de Deus

“Por esse motivo, também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo, constantemente, a este serviço.” (Romanos 13:6)

Qual “motivo”? A razão da autoridade existir, e também o serviço que ela exerce a favor de seus cidadãos, tais como: 1) ela procede de Deus; 2) quem resiste a ela, resiste a ordenação de Deus; 3) ela pune os que se tornam malfeitores e se rebelam; 4) ela protege seus cidadãos; 5) sujeitamos por dever de consciência.

As autoridades são servas de Deus para estabelecer a ordem através de leis que promovam a paz, trazendo benefícios aos cidadãos e punindo com rigor aqueles que se opõe e praticam o mal.

É a vontade de Deus que nos sujeitemos às autoridades que foram ordenadas por Ele não por temor, mas “por dever de consciência” (v. 5), e dessa forma devemos pagar os tributos estabelecidos por elas para que continuem exercendo o seu dever.

O dever das autoridades em geral é promover a ordem, a segurança, o desenvolvimento social e defender os cidadãos dos malfeitores que se rebelam contra as leis estabelecidas. Jesus disse:

“Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Marcos 12:17)

Continuemos honrar nossos compromissos para com as autoridades, independentemente se elas não têm cumprido com seus deveres, pois fazendo assim glorificamos e honramos o nome de Deus. Se as autoridades não cumprem ou não tem cumprido seu papel diante de Deus, terão que prestar contas a Ele no final – não tem escapatória! Porém, não devemos utilizar esse motivo para descumprir o que se espera daqueles que são filhos de Deus; a nossa parte sempre devemos fazer, pois não é as autoridades que prestaremos contas, mas a Deus.

Paulo também instruiu:

“Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra” (Romanos 13:7)

Este verso nos instrui a pagar tudo o que devemos. Se tudo temos que pagar, nada podemos dever. Infelizmente muitos têm buscado meios de não pagar o que devem, a exemplo, a sonegação que é algo cada vez mais frequente e habitual neste país, dentre outras manobras para não se pagar o que deve.

O versículo não diz se o governo merece receber. Ele também não diz que é injusto. Ele diz é que precisamos pagar os impostos e tributos. O desrespeito as autoridades, aos pais, aos mais velhos, aos ministros de Deus e uns aos outros é algo cada vez mais notório, e por sinal, muito triste. A atitude do cidadão do reino é sempre diferente do homem natural, do pagão, do incrédulo. O proceder dos filhos de Deus é sempre na luz, pois eles devem ser “luzeiros no mundo” (Filipenses 2:15). Lembrando que neste mundo estamos apenas de passagem – somos peregrinos em terra estranha; nosso lar não é aqui!

O respeito é uma prova de submissão, ou seja, de sujeição espontânea e não forçada. Quem é “digno” de respeito, deve ser respeitado para a glória de Deus.

Honrar alguém é homenagear as suas qualidades; é dar preferência, estimando-o acima de si mesmo. Isto exige uma das maiores qualidades cristãs que é a humildade. Essa é a vontade de Deus. Honre a quem é devido e assim glorifique ao Senhor.

Elcio Marcio
Sobre Elcio Marcio 22 Artigos
Elcio Marcio é um servo de Deus residente em Belo Horizonte. Atualmente, serve a igreja no bairro Eldorado em Contagem/MG.