Examine o Que Dizem

Eu estava andando na rua do centro de Curitiba e um rapaz à minha frente se baixou e supostamente pegou um anel dourado. Logo ele anunciou que era uma aliança de ouro e perguntou se eu tinha interesse em comprar dele. Eu já tinha ouvido falar sobre esse golpe e também eu não tinha dinheiro. Me neguei a participar daquele achado e segui em frente.

Muita gente cai em muitos golpes. Muitas vezes as vítimas são pessoas que estão buscando resultados fáceis e caem na sua própria cobiça. Pessoas boas e honestas com bom coração também caem em tentação. Nos últimos tempos aprendemos a confiar desconfiando. Confiar nas pessoas é um passo de fé em Deus, pois o ser humano inspira cada vez menos motivos de confiança.

Antigamente os homens arrancavam os fios do bigode como sinal de confiança. Hoje nem barba farta é sinal de uma pessoa de confiança e caráter.

“É muito fácil enganar alguém e muito difícil convencer uma pessoa de que ela está enganada”

A Bíblia ensina, sim, a julgarmos todas as coisas, mas devemos ficar com o que é bom. Num tempo em que a Palavra de Deus era dada por meio de profecias e isto durante o Novo Testamento em vigor, pois ele ainda estava sendo escrito, como as pessoas saberiam se uma coisa que estava sendo dita era mesmo a Palavra de Deus? Então o apóstolo Paulo, divinamente inspirado, instruiu que as pessoas fossem criteriosas. O critério é julgar:

“Não apagueis o Espírito. Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom; abstende-vos de toda forma de mal.”‭‭ (1 Tessalonicenses‬ ‭5:19-22‬)

Naquele tempo em que o Velho Testamento tinha perdido status de vontade de Deus vigente e o Novo Testamento estava começando, muitos falsos mestres vieram dizendo que estavam falando em nome de Deus e inspirados pelo Espírito Santo. Não era uma atitude humana nova, pois no Velho Testamento isto também já tinha acontecido.

“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.” (2 Pedro 2:1)

Jesus pessoalmente se oferece para que o provem. Ele certamente veio falando a palavra de Deuse em seus lábios não se achou engano nenhum, mesmo assim ele se voluntariou para ser colocado à prova:

“Se alguém decidir fazer a vontade de Deus, descobrirá se o meu ensino vem de Deus ou se falo por mim mesmo.” (João 7:17)

Como Julgar

Tomemos como exemplo um juiz. Mesmo ele sendo falível e humano, ele tem que ter algum critério para julgar o mais corretamente possível. Por esse motivo ele olha e cita a lei. Ele ouve as partes, mas julga de acordo com o que a lei fala. Nós devemos fazer o mesmo. A nossa lei é a Palavra de Deus. Qualquer pessoa pode vir a dar sua opinião sobre fé. O que você vai fazer? Não olhe para a aparência da pessoa, não se deixe pressionar pelos argumentos e recursos que a pessoa usa, olhe, antes, para a palavra de Deus e veja o que ela diz. Faça uma tabela mental sobre o assunto e veja o que a pessoa diz e o que a Bíblia diz.

Pessoa Palavra de Deus
Assunto
O que a Pessoa diz O que a Bíblia diz

A Bíblia cobre, virtualmente, todos os assuntos que se possa imaginar, pois é inspiração do Espírito Santo para nos guiar. Toda a vontade de Deus está registrada na Bíblia. Se você ainda não encontrou a vontade de Deus para um determinado assunto, é por causa da sua limitação pessoal.

Se você acredita só no que a Bíblia diz e duvida de todos os homens, você estará protegido contra o ataque à fé. Se você abre o precedente em acreditar em qualquer homem que se diz profeta, abre a possibilidade de ser enganado. O interesse da Palavra de Deus é salvação enquanto os interesses humanos são duvidosos. Creia somente na Palavra de Deus e prove, isto é, examine o que dizem.

Conclusão

Quem não julga o que houve é conivente com o erro alheio. Se torna cúmplice dos pecados alheios.

Você não pode julgar alguém usando sua opinião ou preconceitos. Você não deve nunca condenar e dar o veredito final contra uma pessoa. Pessoas não são nossos inimigos e sim aquele que quer nos manipular através de novas revelações além da Palavra de Deus.