Eu Estou Pensando em Divórcio

Certamente muitos vão fazer a mesma pergunta que fizeram os discípulos à mesa na última ceia com Jesus: “Serei eu, Mestre”? Porque  com a história que eu vou contar muitos casais vão se identificar, mas nem todos vão meter a mão no prato com Jesus. De qualquer forma, este é um caso muito comum.

Marido abusivo, esposa fragilizada. Casados há uns três anos. Ele, usuário de entorpecentes, moderado, com o tempo se tornou mais habitual. Ela foi foi agredida mais uma vez por seu marido. Ele se sente acuado por alguns que ouviram as queixas da esposa e de familiares dela. Faz algum tempo que eles não têm relações íntimas e ele tem visitado muito aqueles sites que, se descobrissem, ficariam escandalizados.

Depois de algum tempo a única coisa em comum entre os dois é o pensamento sobre o divórcio. Hoje concordam, também, que assinaram um contrato ou fizeram uma aliança jurando eternidade cedo demais. Agora eles acham que não se conheciam o suficiente. Para piorar o quadro, eles têm um filhinho de pouco mais de um ano.

Qual a Vontade de Deus?

Será que Deus não se importa com o sofrimento? Será que Deus não poderia intervir e fazer dela uma esposa submissa e ele um marido amoroso que luta e vence suas tentações? Será que a única coisa que os une é a mistura que resultou em seu filho que sofre injustamente junto com eles?

Se um casal quer saber qual é a vontade de Deus, precisa sentar e deixar Ele falar. Sobre o que eles estão pensando Deus tem o que falar:

13 Há outra coisa que vocês fazem: Enchem de lágrimas o altar do Senhor; choram e gemem porque ele já não dá atenção às suas ofertas nem as aceita com prazer. 14 E vocês ainda perguntam: “Por quê?” É porque o Senhor é testemunha entre você e a mulher da sua mocidade, pois você não cumpriu a sua promessa de fidelidade, embora ela fosse a sua companheira, a mulher do seu acordo matrimonial. 15 Não foi o Senhor que os fez um só? Em corpo e em espírito eles lhe pertencem. E por que um só? Porque ele desejava uma descendência consagrada. Portanto, tenham cuidado: Ninguém seja infiel à mulher da sua mocidade. 16 “Eu odeio o divórcio”, diz o Senhor, o Deus de Israel, “e também odeio homem que se cobre de violência como se cobre de roupas”, diz o Senhor dos Exércitos.” (Malaquias 2:13-16 – precisava de uma ênfase!)

Ele se retira num cômodo da casa onde está dormindo sozinho e às vezes até ora. Ela chora, acha que se aproxima mais de Deus enquanto se afasta cada vez mais do marido. Ambos sabem que não estão certos, mas a solução fácil bate à porta. Não adianta se cobrir de espiritualidade e praticar a divisão no casamento. Deus também odeia o homem violento no casamento, mas não deixa de odiar o divórcio. Não se abre aqui um precedente para se divorciar.

Vagamente eles lembram de quando eram solteiros. Têm saudades daquele tempo e lembram da paz que tinham. Esquecem que oraram e Deus os ouviu. Ele orava por uma esposa e ela por um marido cristão. Deus ouviu e os abençoou. Num álbum esquecido em algum lugar, fotos provam que foi por amor e uma aliança foi feita. Na presença de Deus eles juraram até à morte e Deus os abençoou nesta tríplice aliança onde Ele esteve envolvido.

Se comportam agora como um filho que ganha um carro zero do pai. O filho sai todos os sábados à noite para a balada e nem pensa mais no pai esperando preocupado até de madrugada. O filho bebe e quer sair dirigindo o carro e isso se repete todos os sábados. Até que um dia o celular do pai toca em casa. É o número do filho, a foto dele até aparece na tela. Quando o pai atende alguém do outro lado informa que houve um acidente. Finalmente o filho transformou uma bênção em maldição. É assim que este casal está agindo agora com a resposta da oração que fizeram lá atrás.

Os dois sabem que divórcio é errado. Ambos, por egoísmo, não conseguem mudar, não vale mais a pena…

Provação na União e Tentação no Divórcio

Querem ser felizes? Sim, claro! Fariam qualquer coisa, menos ficarem juntos. Se uma pessoa quer ser feliz, precisa suportar a provação com perseverança e Deus a abençoará. Provação vem de Deus. Ele nos dá tudo o que precisamos para sermos felizes. Então, Ele nos prova para ver se nós realmente queremos ser felizes. Se quisermos, suportaremos todos os problemas unidos, escrevendo uma história diferente de casais que se divorciaram. Deus é bom e nos prova para nos aprovar e amadurecer (Tg 1:12).

Se você estiver sendo tentado ao divórcio, não diga que isto é da vontade de Deus (apesar do seu sofrimento), pois você sabe que não é. Afinal, como já vimos acima, Deus odeia o divórcio. Se estiver sendo tentado saiba que é o seu desejo e isto não é bom. Talvez seja o desejo de se livrar da maneira mais fácil do que agora você chama de problema. Lembra que você pediu uma bênção e Deus te deu o seu cônjuge? O seu desejo o arrasta para esta única decisão possível e você se sente particularmente seduzido para fazer exatamente isso e, pior, encontra argumentos incríveis de que é isso mesmo que você deve fazer. Tentação não vem de satanás, mas dos nossos maus desejos. Satanás só aproveita a ocasião dada a ele de bandeja. Ele, então, coloca apoiadores da causa do seu lado e você se sente amparado pela opinião de que Deus não quer que você sofra mais (Tg 1:13, 14).

Sumarizando (como se precisasse): Provação vem de Deus (o sofrimento). Tentação vem de você (o divórcio).

Consequências

Na provação suportada com perseverança a consequência é felicidade e a coroa da vida e já nesta vida. Na tentação o resultado é arrependimento porque o “desejo, tendo concebido, dá à luz o pecado, e o pecado, após ter se consumado, gera a morte” (Tg 1:15).

A provação é divina, porque Deus te ama Ele te prova. Todas as tentações são humanas e, Deus sendo justo, nos dá, juntamente com a tentação um escape (1 Co 10:13).

É da vontade de Deus que mantenhamos a aliança matrimonial apesar do sofrimento. Imagine se Jesus tivesse se desviado da cruz… Você entende que Jesus estava caminhando ao encontro da sua noiva? Que Ele morreu na cruz para que um dia, na presença do Pai, Ele possa, definitivamente, casar com a sua noiva sem mácula, pura e sem defeito que é a igreja? Se Jesus tivesse escolhido o caminho mais fácil, o caminho de uma vida sozinho, Jesus teria se desviado (divorciado) de todas as bênçãos que a cruz nos trouxe e a Ele também. Da mesma forma os que escolhem o mais fácil ao invés do sofrimento acabam sofrendo sem propósito.

Conclusão

Ter problemas não é o problema. O problema é não saber o que fazer quando acontecer. Qual é mesmo a decisão que foi feita no altar? “Prometo estar contigo na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, amando-te, respeitando-te e sendo-te fiel em todos os dias de minha vida, até que a morte nos separe.” Não precisa fazer uma nova decisão cada vez que os problemas começarem, basta ficar fiel e perseverante no juramento de amor já feito.

Sabia que, segundo as estatísticas do IBGE, o segundo casamento é pior do que o primeiro? Seja por abuso por parte do padrasto, seja pela história do passado e, pela estatística, o segundo casamento tem maior chance de acabar em divórcio do que o primeiro. Divórcio não é a solução. Para mudar uma situação, você tem que mudar.

Sabe por que Jesus nunca vai se divorciar da sua esposa (a igreja)? Porque ele se entregou por ela até à morte e morte de cruz. Isto é, Ele pagou um alto dote pela igreja, ela é muito valiosa para deixar de lado. Este é o mesmo motivo que a igreja é cegamente submissa a Jesus.

João Cruz
Sobre João Cruz 41 Artigos
João Cruz trabalhou mais de 20 anos com a igreja como evangelista. Atualmente dirige o Ministério Resgate ligados à publicações, música, edificação, treinamento, crescimento da igreja, palestras, produção de conteúdo e informação para as congregações.