Enfrentando Problemas

SIM! Somos a igreja de Cristo. SIM! Defendemos a doutrina bíblica pura, sem costumes e tradições humanas. SIM! Temos a certeza que temos que ser a igreja que estava na mente de Cristo (referindo-me ao que disse, sabiamente, nosso querido irmão Norton).

Então, podemos afirmar que não temos problema algum em nosso meio? NÃO!!!! Temos problemas sim, e muitos.

Mas não parece um contrassenso que aqueles que se dispõem a seguir a Cristo da melhor maneira possível enfrentem problemas no seio da igreja, exatamente onde, em tese, não deveria existir problemas?

Pois é, mas isso não deveria causar espanto a quem conhece as Escrituras, porque isso não é algo novo. Igrejas com problemas (e problemas nas igrejas) são recorrentes nas páginas da Bíblia. Vejam as cartas de João às igrejas da Ásia em Apocalipse 2 e 3; das 7 igrejas citadas, pelo menos 5 tinham advertências (não devemos nos esquecer que essas 7 igrejas são uma representação de todas as igrejas num sentido universal). O apóstolo Paulo por diversas vezes dirigiu-se à igreja de Corinto para repreender seus membros por diversos motivos (ciúmes e contendas em I Coríntios 3:3-9; soberba em I Coríntios 4:18-21; imoralidade e impureza em I Coríntios 5; litígio e disputa entre irmãos em I Coríntios 6:1-12; participação na Ceia de modo incorreto em I Coríntios 11), além de tentativa de mentiras (Ananias e Safira em Atos 5); reclamações quanto à possível falha na distribuição de ajuda (Atos 6:1); nova discussão entre irmãos (Paulo e Barnabé em Atos 15:36-41).

O mesmo Paulo relata a ocasião em que ele e o também apóstolo Pedro tiveram uma acirrada discussão (Gálatas 2:11-14). Enfim, exemplos desse tipo não faltam e devem ser vistos como uma demonstração da veracidade da Bíblia, pois a mesma não “esconde embaixo do tapete” os problemas, o que seria, aos olhos humanos, algo natural. Afinal, é comum no mundo secular a valorização daquilo que é feito de maneira correta e a tentativa de ocultar aquilo que nem sempre é bom. Na Palavra de Deus isso não existe, pois tanto o certo quanto o errado são colocados “em cima da mesa” e são usados para exemplo e aprendizagem.

Porém, o fato de a Bíblia mostrar problemas que ocorrem no meio da igreja não pode ser visto por nós como algo “normal”, ou ainda para que pensemos: – “bem, já que problemas existiam desde o início da igreja, então não tem nada de errado com os problemas de hoje” -.

Sim, é fato que existem problemas, mas também é fato que a solução deve ser buscada e o problema eliminado (I Coríntios 11:19; Filipenses 2:1-4).

Reconhecer que existem erros e problemas em nosso meio, procurar as soluções baseados na verdade e na Palavra e buscar sempre a unidade ensinada por Jesus são indicativos de uma igreja saudável e madura, e deve ser o objetivo de cada congregação e cada cristão, individualmente.