“Eis Que Deixamos Tudo…”

Pedro, o apóstolo, sempre tinha uma observação ou pergunta. Depois do jovem rico se negar a deixar suas riquezas para seguir Jesus, ele faz esta pergunta a Jesus. Basicamente, está querendo saber onde está pisando, qual a recompensa de seguir o jovem carpinteiro de Nazaré. A resposta de Jesus: “Em verdade vos digo que ninguém que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos, por amor de mim e por amor do evangelho, que não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e no mundo por vir, a vida eterna”. Assim, quero utilizar e exemplificar essa verdade aplicada na vida de Estevão, o primeiro mártir da igreja cristã.

“Então, Pedro, começou a dizer-lhe: Eis que nós tudo deixamos e te seguimos.” Marcos 10:28

Estevão foi um dos 7 homens escolhidos no começo da igreja para servir as viúvas em suas necessidades (Atos 6:1-6). Porém, Ele e Filipe se destacaram, talvez por terem levado a sério as palavras de Jesus em Lucas 17:10: “Assim também vós, depois de haverdes feito quanto vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer.”

Estevão e Filipe fizeram mais, além de cuidarem das viúvas, dedicaram-se à pregação do evangelho, Filipe na Samaria e Estevão em Jerusalém.

Em Atos 7:8, Lucas nos mostra Estevão fazendo prodígios e milagres entre as multidões, confundindo os líderes judaicos com sua pregação sobre a boa notícia trazida por Jesus.

Qualquer um que se dedica a Jesus será como seu Mestre. Será aceito por alguns, mas rejeitado e até perseguido por muitos. Com Estevão não foi diferente, por causa de sua ousadia na pregação do evangelho, seus inimigos subornaram falsas testemunhas para acusá-lo diante do Sinédrio. O mesmo Sinédrio que alguns anos antes havia condenado Jesus à morte, dessa forma se cumpriu em Estevão mais uma vez as palavras de Jesus: “O discípulo não está acima do seu mestre; todo aquele, porém, que for bem instruído será como o seu mestre.”

As falsas testemunhas acusaram Estevão diante do tribunal judaico, ele sabia que sua vida corria risco, porém, como Jesus, o intrépido discípulo se manteve sereno, a ponto das pessoas olharem para ele e verem que tinha um rosto de anjo (Atos 6:15). Sim, somente uma pessoa que vive uma vida bonita para Jesus pode diante da morte manter a serenidade, pois sabe que sua vida está nas mãos do seu Senhor.

Como Jesus (1 Timóteo 6:13), Estevão faz sua boa confissão diante das autoridades, inclusive no final diz que continuam pecando, pois seus antepassados mataram os profetas no passado e o mesmo eles fizeram quando mataram Jesus.

Foi demais para aqueles homens de coração duro. Lucas diz que “rilharam os dentes” contra o cristão (6:54). Como fizeram com Jesus, levaram o discípulo para fora da cidade e lá o apedrejaram. Antes de morrer, mais uma vez Estevão se identificou com seu Mestre ao perdoar seus algozes (7:60).

As pedras o acertam, seu sangue é derramado, ele está prestes a morrer, mas os céus não deixam aquele momento sublime passar. Lá no céu, Jesus, que sempre se posicionou como sentado ao lado de Deus Pai, levanta-se para ver os últimos momentos de vida de seu servo bom e fiel, como se estivesse dizendo: “Você não se envergonhou de mim. Agora, diante do Pai e dos seus anjos, eu quero honrar a você, Estevão, minha testemunha fiel”. (Lucas 9:26)

Como Jesus fez antes de morrer, Estevão bradou: “Senhor Jesus, recebe o meu espírito”. (7:59). Estevão, cujo nome significa “coroa”, é a resposta para a pergunta de Pedro. Ele viveu para Jesus, serviu a Jesus, amou seu evangelho. Naquele momento a coroa da vida estava garantida para o servo fiel.

Irmãos, vale a pena deixar tudo por Jesus e seu evangelho. O servo bom e fiel certamente será honrando pelo Senhor. Tenhamos, pois, vidas dedicadas ao Senhor. Valeu a pena para Estevão. Valerá também para nós. Não sabemos o que o futuro nos reserva, porém, uma coisa podemos decidir já, hoje, todos os dias: viverei para honrar o meu Senhor.

Valdir Silva
Sobre Valdir Silva 61 Artigos
Valdir Silva é servo de Deus na cidade de Guarulhos e editor do boletim inter-congregacional Amo Jesus.