A Seita de Judas, o Cristão

Judas Iscariotes foi o primeiro cristão mesmo sem saber1)Esta é uma comparação livre sobre um comportamento que não é de um discípulo de Jesus, mas sim, como o de Judas que andou com Jesus, mas nunca se deixou converter.. A denominação ‘cristão’ ainda nem tinha sido cunhada pelos de Antioquia e Judas já estava lá na linha de frente. Ele foi contado entre os discípulos e teve parte naquele ministérios de ser apóstolo de Jesus, mas, como era só um cristão, por isso não chegou até o fim. A questão de ser cristão eu só vou explicar melhor no fim deste artigo.

Iscariotes teve o privilégio de ter sido escolhido apóstolo por Jesus Cristo pessoalmente. Por incrível que possa parecer, Judas foi mais apóstolos do que os que se auto intitulam hoje em dia, pois ele andou com Jesus desde os dias do batismo de João Batista até às vésperas da crucificação do Senhor Jesus, a qual ele ajudou a orquestrar2)Segundo a Bíblia uma pessoa só poderia ser um apóstolo se seguisse as exigências de acordo com Atos: “Portanto, é necessário que escolhamos um dos homens que estiveram conosco durante todo o tempo em que o Senhor Jesus viveu entre nós, desde o batismo de João até o dia em que Jesus foi elevado dentre nós às alturas. É preciso que um deles seja conosco testemunha de sua ressurreição”. (Atos 1:21,22).

Judas foi o único apóstolo que não nasceu na Galiléia. Foi um dos primeiros a se tornar escolhido por Jesus. Diz-se que era um homem culto ou inteligente, por isso foi escolhido par tomar conta das finanças.

Foi Judas quem criticou Maria por ‘desperdiçar’ um frasco de perfume de nardo, um perfume muito caro na época, nos pés de Jesus. Ele mostrou que tinha o típico comportamento de um cristão como os mesmos cristãos que encontramos hoje em dia.

“Mas um dos seus discípulos, Judas Iscariotes, que mais tarde iria traí-lo, fez uma objeção: “Por que este perfume não foi vendido, e o dinheiro dado aos pobres? Seriam trezentos denários”. Ele não falou isso por se interessar pelos pobres, mas porque era ladrão; sendo responsável pela bolsa de dinheiro, costumava tirar o que nela era colocado.” (João 12:4-6)

Judas também deu contentamento. Quando ele foi negociar a entrega Jesus com os líderes religiosos combinou o valor de 30 moedas de prata (Marcos 14:10-11). Jesus sabia o que estava para acontecer e por mãos de quem seria entregue. Pense só que, ao sentar-se à mesa da ceia com Jesus, Judas Iscariotes já tinha combinado com os religiosos a traição. Ele já estava lá com as 30 moedas de prata. Imagine a consciência de Judas no momento em que Jesus disse:

“Ao anoitecer, Jesus chegou com os Doze. Quando estavam comendo, reclinados à mesa, Jesus disse: “Digo-lhes que certamente um de vocês me trairá, alguém que está comendo comigo”. Eles ficaram tristes e, um por um, lhe disseram: “Com certeza não sou eu! ” Afirmou Jesus: “É um dos Doze, alguém que come comigo do mesmo prato. O Filho do homem vai, como está escrito a seu respeito. Mas ai daquele que trai o Filho do homem! Melhor lhe seria não haver nascido”. (Marcos 14:17-21)

Jesus falou alto e em bom tom sobre a traição e todos sabiam que ia acontecer. Ninguém desconfiava de Judas até que Jesus falou diretamente com ele e mesmo assim Judas não passou pela cabeça deles:

“Depois de dizer isso, Jesus perturbou-se em espírito e declarou: “Digo-lhes que certamente um de vocês me trairá”… Inclinando-se para Jesus, perguntou-lhe: “Senhor, quem é? ” Respondeu Jesus: “Aquele a quem eu der este pedaço de pão molhado no prato”. Então, molhando o pedaço de pão, deu-o a Judas Iscariotes, filho de Simão. Tão logo Judas comeu o pão, Satanás entrou nele. “O que você está para fazer, faça depressa”, disse-lhe Jesus. Mas ninguém à mesa entendeu por que Jesus lhe disse isso. Visto que Judas era o encarregado do dinheiro, alguns pensaram que Jesus estava lhe dizendo que comprasse o necessário para a festa, ou que desse algo aos pobres. Assim que comeu o pão, Judas saiu. E era noite.” (João 13:21, 25-30)

Porém Judas era um homem de palavra e não voltou atrás. Judas era um homem que errava, reconhecia o seu erro, mas não pedia perdão. Ele enfrentava as consequências. Ele saiu naquela noite e Jesus também saiu logo atrás com os seus discípulo. Enquanto Judas estava indo buscar os guardas, Jesus estava indo para o Jardim,

Quando Judas entregou Jesus ele sabia que Jesus era inocente e esperava que fosse absolvido porque, onde neste mundo condenariam um homem como aquele? Jamais! Além do mais, Ele era o filho de Deus e tinha poderes incríveis. Certamente poderia escapar quando quisesse.

Chegando no jardim ele já tinha combinado que seria aquele que ele beijasse que deveria ser preso. Jesus era tão simples e parecido com seus apóstolos que foi necessário um código para poder identificar Jesus. Ele se vestia como Mateus, João, Bartolomeu ou como qualquer um dos seus discípulos. Judas tratou Jesus como Mestre e Jesus o chamou de amigo.

“Levantem-se e vamos! Aí vem aquele que me trai! ” Enquanto ele ainda falava, chegou Judas, um dos Doze. Com ele estava uma grande multidão armada de espadas e varas, enviada pelos chefes dos sacerdotes e líderes religiosos do povo. O traidor havia combinado um sinal com eles, dizendo-lhes: “Aquele a quem eu saudar com um beijo, é ele; prendam-no”. Dirigindo-se imediatamente a Jesus, Judas disse: “Salve, Mestre! “, e o beijou. Jesus perguntou: “Amigo, que é que o traz? ” Então os homens se aproximaram, agarraram Jesus e o prenderam.” (Mateus 26:46-50)

Judas tinha certeza de que Jesus era inocente e seria libertado, mas Ele foi condenado e aparentemente isso fez com que a dureza de coração de Judas fosse quebrada. Judas não esperava que Jesus fosse condenado e isso compungiu o seu coração:

“Quando Judas, que o havia traído, viu que Jesus fora condenado, foi tomado de remorso e devolveu aos chefes dos sacerdotes e aos líderes religiosos as trinta moedas de prata. E disse: “Pequei, pois traí sangue inocente”. E eles retrucaram: “Que nos importa? A responsabilidade é sua”. Então Judas jogou o dinheiro dentro do templo, saindo, foi e enforcou-se. Os chefes dos sacerdotes ajuntaram as moedas e disseram: “É contra a lei colocar este dinheiro no tesouro, visto que é preço de sangue.” (Mateus 27:3-6)

Judas ainda tinha muita dureza de coração e o arrependimento não fazia parte do seu vocabulário. Ele não chegou a se arrepender, apenas foi tomado de remorso. O remorso é a tristeza do mundo que leva à morte enquanto o arrependimento é a tristeza de Deus que leva ao perdão (2 Co 7:8, 9). Não seja da seita de Judas que tem como comportamento nunca se arrepender do que fez. Remorso só leva à morte eterna.

Judas foi se enforcar, mas aparentemente ele estava acima do peso ou escolheu um galho fraco onde se pendurar, pois a árvore ao sentir o seu peso, quebrou o galho e o corpo de Judas caiu ribanceira abaixo e partiu-se pelo meio e suas entranhas se derramaram (At 1:18). Dá arrepio só de pensar. Se fosse feita uma autópsia no corpo, provavelmente teriam visto que ele não morreu sufocado.

Quanto a Judas ser cristão, refiro-me mais ao comportamento e ao surgimento e frequências das palavras na Bíblia. O comportamento do cristão é sem comprometimento com Cristo. O Brasil, por exemplo, é um país cristão porque acredita em Cristo e não em Buda ou Maomé. A palavra ‘cristão’ aparece apenas 3 vezes em toda a Bíblia enquanto a palavra discípulo aparece mais de 260 vezes. Jesus nunca veio chamar cristãos para o seguirem, veio fazer discípulos. A denominação ‘cristãos’ surgiu de uma cidade que, ao ver e ouvir os discípulos falarem e agirem como Cristo, os chamou de cristãos (At 11:26).

Ser cristão é ser como Judas. Ser discípulo é ser como Pedro, por exemplo, que negou Jesus tanto quanto Judas traiu Jesus, porém o resultado da conscientização foi bem diferente. Enquanto Judas só deixou que o remorso tomasse conta dele e consumisse a sua vida, Pedro se arrependeu e chorou amargamente por ter negado Jesus por três vezes antes de cantar o galo. Aprenda a se arrepender. Anda mais perto de Jesus e abra o seu coração para Ele.

Um teólogo observou o seguinte:

“Quando Judas ficou possesso por Satanás, não caiu no chão, não revirou os olhos, não falou em voz diferente, não ficou doente ou encurvado, não ganhou uma força descomunal. Simplesmente saiu e foi ganhar dinheiro vendendo Jesus ao sacerdotes (Lucas 22.3-6). Tem muito mais gente possessa por Satanás do que se pensa.” – Augustus Nicodemus

Então, tomando como princípio de que Judas quando possesso por satanás foi vender Jesus por 30 moedas de prata, os que se auto denominam apóstolos, bispos, missionários e outros títulos, e até fazem milagres, estão é vendendo Jesus, então estão influenciados por satanás. Típico de pessoas que se dizem estar tão perto de Cristo, mas como Judas, seus corações estão longe…

Se afaste do comportamento de Judas e, como autêntico discípulo de Jesus, se aproxime com sincero coração para colocar as palavras do Mestre em ação na sua vida em primeiro lugar, permitindo que ela o entristeça e o faça se arrepender profundamente e levar outros ao arrependimento como fez Pedro, um verdadeiro e fiel apóstolo e discípulo de Cristo.

References   [ + ]

1. Esta é uma comparação livre sobre um comportamento que não é de um discípulo de Jesus, mas sim, como o de Judas que andou com Jesus, mas nunca se deixou converter.
2. Segundo a Bíblia uma pessoa só poderia ser um apóstolo se seguisse as exigências de acordo com Atos: “Portanto, é necessário que escolhamos um dos homens que estiveram conosco durante todo o tempo em que o Senhor Jesus viveu entre nós, desde o batismo de João até o dia em que Jesus foi elevado dentre nós às alturas. É preciso que um deles seja conosco testemunha de sua ressurreição”. (Atos 1:21,22).