Restauração: A Igreja

A igreja é um hospital. Um hospital de pecadores onde todos são tratados das doenças (consquências) que o pecado trás. Um dos principais tratamentos é a hemodiálise espiritual onde o sangue de Cristo é usado para purificar de toda iniquidade. Neste hospital é aceito todo tipo de pessoa e a conta já foi paga. Basta descobrir e admitir o pecado em sua vida. Todos que lá estão internados sabem que morrerão eternamente sem a cura definitiva, mas algumas ações deste tratamento melhora a qualidade de vida e até dá longevidade, no final, a vida eterna. Todos serão transferidos para uma unidade eterna de descanso onde o pecado já não terá domínio sobre eles, pois vivem para sempre e não há como alcançá-los. Finalmente estarão justificados.

Imagine a cena

Seu pai está doente no hospital e precisa tratamento para voltar a ser saudável como no passado. Ele precisa recuperar a memória, restaurar a saúde como quando era jovem e voltar a ser forte para ajudar outros necessitados e salvar a sua própria esposa, como seu próprio corpo, afinal, não são mais dois e sim um. Imagino que você não teria tanta consideração por seu pai se ele tivesse abandonado sua mãe quando você era criança e se juntado a várias outras mulheres e ainda tentando ter a sua mãe também, mas este não é o caso. Ele foi fiel, ele deu o sangue pela família, a alimentou e cuidou dela.

Agora responda estas perguntas fáceis

Você iria visitar seu pai que está internado? Você estaria disposto a gastar tudo o que tem para vê-lo restaurado? Ou você acha que não precisaria freqüentar o seu quarto? Você diria para o médico dele que não precisava se esforçar tanto pra restaurá-lo, pois ter a sua memória e saber que ele viveu e teve uma vida boa é o suficiente? Você iria visitar outra pessoa que parecesse com seu pai, mesmo que ela não tivesse feito nada por você e nem sequer tenha seu sobrenome ou seu sangue só porque o hospital do seu pai está muito longe da sua casa? Para todas estas perguntas, a resposta é lógica.

Vamos parar de imaginar e agora e vamos fazer uma aplicação:

A igreja está doente. Está doente porque está dividida. Há partidarismos, facções, dissensões e até heresias. Isso sem contar quantos homens querem tomar o lugar do Supremo Pastor e Bispo das nossas almas, Jesus. Vamos englobar aqui na palavra ‘igreja’ todas as denominações, todas as ramificações.

A igreja está doente e precisa de restauração para voltar a ter saúde como no passado ou como no ideal plano de Deus. É preciso restaurar a memória de Cristo. A igreja precisa de restauração para voltar a salvar como fez no passado. Digo voltar a salvar, pois muitos crentes de hoje crêem que ‘igreja não salva ninguém’. Mas ao restaurar a igreja de Cristo, lemos nas páginas do Novo Testamento (a palavra é a receita para clonar a igreja de Cristo) que a igreja é o corpo de Cristo através dos seus membros, isto é, as pessoas salvas e santificadas pela igreja. E, se igreja não salva ninguém, é porque não tem ninguém salvo então, já que somos, individualmente, membros do corpo de Cristo. É contraditório o pensamento humano de que a igreja não salva! Mas a Palavra não se contradiz.

O corpo de Cristo, a igreja, quer que você faça parte da vida dela, sem você a igreja não está completa. Somente na igreja que pertence a Cristo há salvação. Jesus foi fiel à sua noiva, a amou, se entregou por ela, cuida e a alimenta. Ele mesmo disse que as portas do inferno não prevaleceriam contra ele, então, a igreja de Cristo existe sim, tal como ela foi edificada.

Você vai continuar pensando que não importa a igreja? Para você basta a memória do seu edificador? Basta ter uma cruz com Cristo para ser suficiente? Será que é suficiente pensar em Cristo e fazer o que quiser para agradar mais a si mesmo do que a Ele, o cabeça da igreja? Muitos crentes defendem a idéia: “morte ao corpo de Cristo! Basta a memória de Jesus entre nós!”. Claro que não afirmam isso nas suas palavras, mas alguns dizem: “Jesus que eu e você pregamos é o mesmo!”. Se Ele é o mesmo, por que as divisões? Por que as denominações e ministérios diferentes? Isto é desejar divisão do corpo de Cristo, dilacerar a unidade.

Imagine você que temos o mesmo professor, o mesmo livro (a Bíblia), os mesmos ensinamentos lá escritos. Por que, então, praticamos coisas diferentes? Ficaríamos revoltados com um resultado assim no mundo, mas quanto à igreja, corpo de Cristo, fazemos vistas grossas às divisões. Então, estamos matando o corpo de Cristo, a igreja que Ele edificou e comprou com seu sangue.

A igreja está doente, mas a igreja está sendo restaurada. Onde você tem ido? O corpo de Cristo está internado pelas atitudes de partidarismos e divisões. Porém, ainda hoje podemos encontrá-la, o ‘endereço’ está nas páginas da Bíblia. Você vai visitar qualquer corpo doente como se fosse o corpo de Cristo? Só porque Cristo está longe da sua casa, você vai a qualquer lugar porque pensa que o importante é ir a ‘uma igreja’ ao invés de ir à igreja?

O irmão da minha esposa não apareceu em casa num certo dia. Depois de algumas horas a família já ficou preocupada e começou a procura-lo. Telefonaram para os conhecidos, amigos, parentes e foram aos hospitais. Não sabiam onde ele estava. Finalmente eles o encontraram num hospital em estado grave. Ele tinha uma moto e sofreu um acidente. Todos foram visita-lo mesmo que o hospital fosse longe de suas casas. Tinha irmãs até em outros Estados do país, mas elas foram onde ele estava. Infelizmente ele faleceu.

A igreja, corpo de Cristo, deveria ser tão importante quanto o corpo de um ente querido. Cabe a nós encontrar o corpo de Cristo hoje. A igreja está sendo restaurada, sua saúde, sua verdade, o caminho único para a sua salvação. Encontre-a. Aquela família sofredora não mediu esforços até encontrar quem eles amavam, uma vez encontrado, anunciaram a todos. Ninguém ficou se vangloriando sobre isso, ninguém foi visitar um doente mais próximo em memória do seu ante querido. Ninguém queria viver de lembranças dele, queriam ele pessoalmente. A igreja não deve ser apenas uma vaga lembrança de Cristo, deve ser o corpo de Cristo pessoalmente através dos seus salvos, os membros da igreja. Vale a pena todos os esforços para alcançar a igreja, onde quer que esteja.

Pode ser que você não a esteja procurando e ‘tropeçou’ nela, pela misericórdia e bondade de Deus. Quando você vir quão grande valor ela tem, se desfará de tudo o que te impede seguir Jesus para tê-la em sua vida para sempre e ser um membro do corpo de Cristo. Se você está procurando a igreja que Cristo edificou, quando encontra-la se desfará de todos aqueles corpos estranhos e suas crenças para adquirir o tesouro de grande valor. Afinal, na comparação, todas as igrejas são iguais, mas nenhuma é igual a igreja que Cristo edificou (Mt 13:44-46).

Vocês pensam que só vocês são salvos…

Esta é uma frase que muitos encontram para continuarem perdidos em suas crenças. Penso que todos os que obedeceram o evangelho, e isto nem todos os crentes obedecem apesar de acreditar que o evangelho salva. Mal sabem o que é evangelho na prática. Acreditamos que todos os que ouviram a palavra, creram e mostraram de fato que crêem, se arrependeram, confessaram Jesus em atos e palavras, confessaram seus pecados aceitando o batismo por imersão nas águas, são fiéis à doutrina dos apóstolos, no partir do pão (celebrar a ceia todos os domingos) e nas orações, são salvos. Acreditamos que não somos os únicos, mas, sim, Deus acredita em exclusividade:

“Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. Antes vocês nem sequer eram povo, mas agora são povo de Deus; não haviam recebido misericórdia, mas agora a receberam.” (1 Pedro 2:9,10)

Só falta falar que Deus está fazendo acepção de pessoas. Deus escolhe os que obedecem ao evangelho. A escolha é um processo de obediência. A obediência ao evangelho é o que nos faz membros do corpo de Cristo. A prática da palavra (obediência) é que nos faz um grupo seleto de Deus. Pensamos que somos discípulos de Jesus, mas não os únicos discípulos de Jesus.

Compreendemos que vivemos em temos difíceis em que o mundo invade a igreja com sua ‘sabedoria’ humana e que não existem mais absolutos e tudo é relativo. Compreendemos que não vamos agradar a todo mundo, mas nosso Mestre Jesus também não agradou e nem sequer veio com esta missão. Ele foi crucificado exatamente por falar a verdade. Temos até mesmo em nosso meio irmãos que querem amenizar a verdade, mas esta geração de pregadores vai ter que responder por esta geração de pecadores. Agradá-los não vai mudar a verdade e ambos serão julgados pelas palavras de Cristo. Importa mais agradar a Deus que aos homens.

Precisamos julgar a salvação individual e até alheia de acordo com as palavras sagradas do Novo Testamento e não segundo nossas opiniões. Não devemos jamais julgar alguém baseado em opiniões humanas e somos humanos e falíveis. Nos pautamos pela Palavra de Deus somente, pois ela não nos engana. Já as teorias, argumentações, opiniões religiosas, todas serão passadas pelo fogo.

Conclusão

Sem querer agradar ao mundo, nosso objetivo é fazer restauração. Pregamos a união em Cristo Jesus somente. Isso também quer dizer união doutrinária onde a Bíblia é lida, respeitada e colocada em prática. Pregamos o evangelho e o poder de Deus que vem da obediência ao evangelho. Que mal pode ter um grupo que quer ser fiel em todas as coisas e acredita que não é perfeito, mas Cristo é perfeito por nós. Se a verdade a qual nos prendemos incomoda, graças a Deus.