7 Formas de Ter Um Culto Incrível

Eu realmente acredito que quando uma pessoa fala que o culto não foi bom ela está falando mais dela mesma do que do culto em si. Afinal, nós somos o corpo de Cristo e o que nós, individualmente, fizermos é o que faz o culto bom ou ruim. Este é um texto um pouco longo, mas quando é que você vai ter uma oportunidade como esta de meditar no assunto? Se não tem ânimo para ler, talvez esse seja um motivo que o culto não esteja sendo tão bom para você…

Filhos da Sua Mao Direita

Biblicamente falando, não existe culto ruim, porque tudo o que fazermos deve ser tirado da Bíblia e não de ideias humanas. Claro que estamos falando de um culto bíblico e não de louvores por aí que se adicionam tantas coisas para agradar aos homens e não a Deus. É em vão, como disse Jesus (Mc 7:1-15).

Sempre fomos uma família que gosta de receber gente em casa. Lembro de, literalmente, parar um ônibus na frente da nossa casa cheio de mulheres vindas de vários lugares para se hospedarem em nossa casa. Agora que moramos em apartamento tivemos que ser mais racionais, mas, mesmo assim, recebemos muitas pessoas ainda. Sempre que recebemos as pessoas é muito bom, porque naquele dia vai ter comida boa. Muitas vezes antes da visita chegar minha esposa faz uma enquete querendo saber o que a pessoa gosta de comer. Se como cebola ou não, se tem alguma restrição, etc. Se tratamos assim alguém que se hospeda em nossa casa, como devemos tratar a Deus quando nós o convidamos para estar em nosso meio? Devemos procurar agradar a a Deus e não aos homens. Quando agradamos a Deus, acontece a verdadeira edificação.

Mas, sim, existem maneiras de tornar um culto mais edificante. Um culto onde as crianças e os jovens saiam edificados dizendo: Foi muito legal! Quando um culto agrada este público tão sensível, certamente foi um culto edificante. Não estou ignorando o que já disse, antes de todos, procuremos agradar a Deus.

Vamos falar sobre 7 formas de fazer um culto mais edificante:

1. Cânticos

O os cânticos são cerca de 60 a 70% do culto, não é? Então, devemos escolher os melhores regentes. Por anos as congregações têm dirigentes de cânticos, mas dificilmente uma congregação desenvolve regentes. Qual a diferença? Fácil! Dirigentes têm boa vontade e isso é muito bom, mas o dirigente nem sempre é bom e fácil de seguir. O regente se empenhou tanto, treinou, estudou que é fácil de seguir. O regente inspira a gente com a condução dele. É como se a gente pegasse carona com ele e não importa a velocidade que ele vá, a gente acompanha facilmente, inclusive nas curvas. A gente não sente como o carona que fica freando de medo por causa do motorista imprudente. Espero que seja útil esta ilustração.

Então, uma forma de termos um culto 60 a 70% melhor é investir tanto quanto a gente investe em evangelismo, no pregador ou no prédio. Se a igreja não está investindo nada em lugar nenhum, ah, então não vai ter um culto edificante mesmo!

O regente não tem que ser profissional, tem que ser uma pessoa que está disposta a dar o melhor para Deus e por que não dar, então, algo profissional para Deus? Temos que ter regentes tão bons que sejam referência. Para pensar…

“Digo a verdade a vocês: A não ser que excedam os professores da lei e os fariseus em fazer o que Deus quer, jamais entrarão no reino do céu” (Mt 5:20).

2. Orações

Em geral oramos muito pouco. Não tenho uma estatística para isso, mas a gente sabe que a maioria dos irmãos não lê a Bíblia regularmente e não conversa com Deus. As orações devem ser uma atitude que antecede o culto. Não precisamos fazer de cada culto um culto de oração, mas isso também não quer dizer que devemos ter o mínimo de orações.

Uma boa oração toca a gente. Qualquer gente. Até as crianças conhecem a força e sentem necessidade de ser ouvida por Deus. Lembro de uma criança que pediu para a mãe escrever seu pedido de oração na folha que circulava na igreja para ser lembrada no final do culto. Ela pedia perdão pelo papai e que ele voltasse para casa. Um pedido tocante…

Uma boa oração tem contexto, isto é, tem começo meio e fim e se adequa ao ato que estamos fazendo no momento. Antes de qualquer ato no culto, faça uma introdução. Chame as pessoas para orar e digo pelo que vai orar. Olhe nos olhos das pessoas. Acredite que Deus está ouvindo e que certamente vai responder. Peça com fé. Lembre, resumidamente, o que Deus já respondeu e que todos puderam ver a resposta. Isto serve para ‘ativar’ a nossa fé na oração. Incentive aos irmãos distribuindo os pedidos entre eles no final do culto.

Enfim, façamos coisas diferentes e vamos ter resultados diferentes. Mas sempre lembremos de fazer coisas que não contradigam a Palavra de Deus.

3. Um Cristo Vivo em Nossas Memórias

Se você pegar a Bíblia de um irmão e deixar a lombada da Bíblia numa mesa e deixar ela cair, em que passagem vai abrir? Essa é fácil! Certamente vai cair aberta em 1 Co 11:23 em diante. Brincadeiras à parte, mas quem não ouviu duas ou três vezes num mês a mesma leitura para a ceia? Existem tantas passagens e vemos que, mesmo tendo uma escala, o irmão não preparou a mensagem para a ceia.

Pensando nisso o Raniere Vieira escreveu um livro com 54 mensagens diferentes para a ceia. Se não sabe o que fazer com o talento que te foi confiado (a direção da ceia) coloque nas mãos de quem sabe (compre o livro e estude).

A mensagem da ceia não deve ser um sermão, mas um devocional objetivo. Que a mensagem da ceia seja nova e edificante. Antes de tudo, que seja bíblica. Vamos nos preparar em casa para edificar os irmãos. Traga um Cristo castigado, morto crucificado, sepultado, mas não esqueça de trazer um Cristo vivo para a mensagem da ceia e que seja edificante!

4. Oferecendo o Melhor

Um breve comentário… perguntei para vários missionários do passado qual foi o maior erro que eles cometeram e alguns deles disseram: “nós não ensinamos a ofertar…”

Comentário de um irmão: “o tempo passou e os irmãos compraram chácara, reformaram a casa, trocaram de carro e o prédio da igreja precisa ficar mendigando.”

O irmão Garner Allen Dutton deixou uma frase escrita: “Sendo essa a base do julgamento [a oferta], entremos nesse tema “esta graça também”, como todo o nosso coração, nossa alma e nossa força. Aquele dia, nossa única tristeza será de não termos dado tudo”.

Planeje sua oferta lembrando de Ananias e Safira (Atos 5:1-10). Não oferte o que é resto e espere o melhor do culto e de Deus. Oferte o que se comprometeu lá no batismo. O culto é tão bom quanto a sua oferta… A maioria das pessoas não têm nem sequer interesse em saber quanto foi a oferta dominical, mas se ofertassem um pouco mais, certamente iriam querer saber.

5. A Mensagem de Deus

Domingo é o primeiro dia da semana. O dia que a semana começa. A semana é do Senhor. Domingo não é dia de experiências. Domingo é o dia de ofertar o melhor. Sabia que de 80 a 90% das pessoas se edificam na mensagem e com o pregador? Se uma pessoa está visitando e ouvir uma das melhores mensagens que já ouviu, ela volta. Caso contrário quem está lá há anos, pensa por que continua vindo? As pessoas querem gostar do pregador, querem ter uma referência. Não estamos falando de ‘postorlatria’, estamos falando de ter alguém pra chamar de “irmão abençoado”! Domingo precisamos ouvir e entender e não ficar procurando decifrar o que o irmão quis dizer. Precisamos, sim, de eloquência para o nosso coração! Mesmo que de formas diferentes…

Num concurso de declamação do Salmo 23 vários oradores experientes e profissionais foram à frente e arrancaram aplausos. Quase no fim um velhinho de bengala foi à frente (demorou pra chegar) e, com voz trôpega e embargada declamou o Salmo 23. Ninguém aplaudiu no final… muitos estavam chorando. Todos os outros oradores conheciam as técnicas e o Salmo 23 decorado, o velhinho conhecia o Senhor do Salmo 23.

Precisamos de pregadores que conheçam o Senhor e no domingo a gente possa ver o Senhor através deles.

6. Me Alegrei Quando me Disseram…

Eu fui um adolescente que cresceu na igreja. Eu não via a hora de ir para o acampamento que a gente fazia a cada 3 ou 4 meses. Eu nem dormia na véspera de tanta excitação e alegria da data chegar. No dia seguinte eu estava muito animado e como eu amava aquelas pessoas! Você tem alegria de ir à igreja? Você entende as palavras do salmista no Salmo 122:1?

Procure ir para se desintoxicar do mundo, par conversar com quem conseguir e falar de testemunhos edificantes para as pessoas, vá para  cantar de coração e com toda vontade, vá para agradecer a Deus por tudo o que aconteceu, chegue na igreja para servir as pessoas e não para ser visto ou ser servido. Se você fizer estas 5 coisas, você nunca vai achar que o culto está ruim, porque o Espírito do Senhor estará em você (Leia Ef 5:18-21).

A palavra desta 6ª atitude é comunhão! Tudo é comunhão no encontro da igreja. Da Escola Dominical aos avisos. O culto não acaba e não deve ter a última oração, mas sim, uma oração para agradecer a semana que está começando.

7. Eu quero ser, Senhor amado…

O 7º ingrediente para fazer um culto melhor é você. Vá e esteja lá não vá e seja virtual. Se quer que a igreja cresça, frequente-a. Se desligue de tudo e se liga nos cânticos, orações, participe mesmo da ceia e coleta, da mensagem (anote) e da comunhão. Venha se transformar para transformar o culto!

Que tal decidir agora, no próximo domingo fazer o melhor culto que você já fez na sua vida? E que tal no outro domingo fazer o melhor que você já fez antes. E que tal ir para dar e não para receber? Aí nunca mais teremos um culto monótono se a gente mudar. Vivamos em novidade de vida!

Em Cristo,

João Cruz

João Cruz
Sobre João Cruz 41 Artigos
João Cruz trabalhou mais de 20 anos com a igreja como evangelista. Atualmente dirige o Ministério Resgate ligados à publicações, música, edificação, treinamento, crescimento da igreja, palestras, produção de conteúdo e informação para as congregações.